Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

SwissLeaks. Inspeção-Geral das Finanças mandou investigar funcionária

  • 333

Fátima Bacelar foi apanhada na lista Swissleaks. Em causa estão cerca de 2,5 milhões de dólares em duas contas, na filial suíça do HSBC.

A Inspeção-Geral das Finanças (IGF) vai abrir um inquérito sobre a funcionária, Fátima Bacelar, que foi apanhada na lista do SwissLeaks.

A TVI avançou quinta-feira à noite que uma inspetora da IGF consta da lista do Swissleaks, informação obtida através de uma investigação conjunta da TVI24 em parceria com o Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação e o jornal 'Le Monde'. Em causa estão cerca de 2,5 milhões de dólares em duas contas, detidas em conjunto com dois familiares, na filial suíça do HSBC.

Há ainda duas sociedades offshore com sede nas Ilhas Virgens britânicas associadas às contas bancárias desta funcionária, segundo a TVI24: a Bordel Investment Holdings Limited e a Pernell Enterprises Limited.



Contactado pelo Expresso, o Ministério das Finanças remeteu para o esclarecimento da IGF publicado na sua página na internet. Nessa nota, o organismo refere que "a funcionária mencionada [na notícia da TVI] não exerce cargo dirigente nem funções no domínio do controlo tributário". Adianta ainda que "o facto noticiado, apesar de se tratar de um assunto do foro familiar sem relação com a sua atividade profissional, logo que foi conhecido pela direção, a IGF determinou, de imediato, a decisão de abertura de inquérito, a instruir por entidade externa e independente".