Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sonae aproxima-se dos 5000 milhões de euros de vendas

  • 333

Em 2014, a empresa investiu 356 milhões de euros, a um ritmo próximo de um milhão por dia.

A Sonae SGPS fechou 2014 com um volume de negócios de 4,97 mil milhões de euros, ficando muito perto de passar a barreira dos cinco mil millhões de euros. Num ano marcado por "forte ambiente concorrencial", como sublinha a empresa em comunicado, a Sonae registou um crescimento de 3,2% nas vendas e uma evolução positiva nos principais indicadores.

A empresa liderada por Paulo Azevedo vai, por isso, propor a distribuição de um dividendo de 0,0365 euros por ação, mais 5% do que no ano anterior.

"A Sonae reforçou a sua solidez financeira e posições competitivas durante o ano de 2014, conciliando  o crescimento da atividade com a preservação de níveis de rentabilidade de referência", refere o comunicado da empresa sobre o desempenho do último exercício que encerrou com resultados líquidos de 144 milhões de euros, o que representa uma queda de 48,2% face a 2013, mas também uma subida de 11,2%, quando excluídos os efeitos da fusão da Zon e Optimus.

Só no último trimestre do ano, os lucros cresceram 33,8%, passando de 36 milhões para 49 milhões de euros.

Em 2014, o EBITDA atingiu 417 milhões de euros, ficando 1% abaixo de 2013, enquanto o underlying EBITDA aumentou 0,6%, para os 380 milhões de euros, a refletir "a melhoria da rentabilidade do retalho especializado e da gestão de investimentos".

Distribuição vale 70% das vendas

No desempenho de 2014, o último exercício em que Belmiro de Azevedo foi chairman do grupo que construiu nos últimos 50 anos, a distribuição respondeu por quase 70% das vendas, a dívida líquida ficou nos 1,25 mil milhões de euros, o resultado direto aumentou 4,4%, para 127 milhões de euros, e os investimentos ascenderam a 356 milhões de euros.

Foi mais uma vez um exercício marcado pela internacionalização do grupo, através de lojas próprias, franchising, exportação de produtos e prestação de serviços a terceiros. O investimento das unidades de retalho da Sonae (Sonae MC, Sonae SR e Sonar RP) aumentou 18,3%, para 194 milhões de euros.

No retalho alimentar, o volume de negócios da Sonae MC totalizou 3,46 mil milhões de euros, mais 1,3% ou 45 milhões de euros que no exercício anterior, com o portfólio de produtos da marca Continente a representar 30% das vendas nas categorias de bens de grande consumo.

No retalho especializado, a Sonae SR registou um volume de negócios de 1,29 mil milhões de euros, mais 6,6% que em 2013, o que traduz aumentos de 6,1% nas vendas em Portugal e de 7,8% no exterior, apoiada na entrada em cinco novos países.

No comunicado enviado à CMVM, o grupo refere a abertura de 108 lojas próprias e en franchising em 2014, para a Sonae MC, dona da marca Continente, fechar o exercício com 640 lojas próprias e em franchising, enquanto a Sonae SR, que reúne marcas como a Worten, Sport Zone, Zippy e MO, soma 595 unidades.

A Efanor, holding pessoal de Belmiro de Azevedo, anunciou esta semana que o empresário vai abandonar o cargo de Chairman na Sonae SGPS, Sonae Capital e Sonae Indústria, propondo o nome do filho Paulo Azevedo para essas funções. Com esta saída, que encerra o processo de sucessão iniciado há sete anos,  Ângelo Paupério passará a ser co CEO da Sonae SGPS, ao lado de Paulo Azevedo.