Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Sindicatos da TAP não recuam. Greve só é suspensa se o Governo parar com a privatização

Alberto Frias

Plataforma de sindicatos que representa os trabalhadores da TAP apresentou esta segunda-feira ao Governo um memorando onde consta a suspensão da privatização da TAP e da greve entre 27 e 30 de dezembro.

A plataforma de sindicatos que representa os trabalhadores da TAP apresentou hoje ao Governo um memorando no qual propõe a suspensão do processo de privatização da companhia e da greve entre 27 e 30 de dezembro.

"Na sequência da proposta do Governo para a criação de um grupo de trabalho, a plataforma de sindicatos apresentou ao Governo um memorando visando a suspensão do processo de reprivatização e da greve convocada para os dias 27 a 30 de dezembro do corrente ano", informou a plataforma em comunicado enviado às redações, sem acrescentar mais informações. 

Na reunião de sexta-feira com os representantes da plataforma sindical, o ministério da Economia "abriu a possibilidade, mediante cancelamento da greve, de se constituir um grupo de trabalho que procure trabalhar os pontos de preocupação dos trabalhadores da TAP", disse Pires de Lima, acrescentando que o Governo ficou de ter uma resposta esta segunda-feira.  

A plataforma sindical da TAP, que reúne 12 sindicatos, anunciou na passada quarta-feira a realização de uma greve depois do Natal e antes do Ano Novo, entre os dias 27 e 30 de dezembro contra a privatização da empresa.

O comunicado referia que "os sindicatos subscritores decidiram desencadear todas as ações necessárias e suficientes, com destaque para uma ação industrial contínua e coordenada para os próximos dias 27, 28, 29 e 30 de dezembro, para sensibilizar o Governo para a necessidade de travar o processo de privatização, oportunamente e nos termos anunciados".