Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Saúde triplica exportações para os Estados Unidos

  • 333

Em 2014, o mercado americano tornou-se no principal destino de exportação da indústria da saúde.

As exportações da fileira da saúde para os Estados Unidos triplicaram em 2014. O mercado americano tornou-se no principal cliente da indústria portuguesa.

Neste desempenho reside a explicação para o crescimento de 11% das exportações do setor da Saúde, em 2014, um ano em que as exportações portuguesas registaram uma subida de 1,9%. O negócio no exterior atingiu os 1,2 mil milhões e representa um novo máximo histórico.

Os cálculos são do Health Cluster Portugal (HCP), com base em dados do INE. Comparativamente a 2008 - ano em que o HCP foi criado e a partir do qual estão disponíveis dados sistematizados - o aumento ascende a 85%.

Angola é o terceiro mecado

A vocação exportadora do negócio da saúde é recente, mas já figura entre as mais relevantes na frente externa (2%). Vale mais do que o mobiliário, a cortiça ou o somatório  de todas as bebidas e não se afasta muito do calçado (3%). A HCP releva o desempenho do mercado americano, com um aumento de 190% (179 milhões), seguido da Alemanha (177 milhões) que registou uma subida muito ligeira (1,1%). Angola (135 milhões) e Reino Unido (123 milhões) ocupam os lugares seguintes, registando crescimentos de 12% e 16%; respetivamente.

O valor de 1,2 mil milhões alcançada resulta da exportação de produtos farmacêuticos de base, de preparações farmacêuticas, de equipamentos de radiação, eletromedicina e eletroterapêutico, e de instrumentos e material médico-cirúrgico. Não são consideradas  as vendas de empresas portuguesas  a opera n o exterior, nem as soluções de e-health, de serviços, e de componentes de plástico para incorporação em dispositivos.

Entre os objetivos do HCP para 2020 encontra-se o lançamento de cinco novos medicamentos e de 50 dispositivos médicos e métodos de diagnóstico e u volume de exportações superior a dois mil milhões de euros.