Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Samsung, Apple e Nestlé são líderes da indústria de grande consumo

  • 333

A Samsung, Apple e Nestlé são as três empresas de produtos de grande consumo que registaram um maior volume de receitas no ano fiscal de 2013, segundo um estudo da Deloitte.

Os dados divulgados na sequência do estudo Global Powers of Consumer Products 2015: connecting with the connected consumer, revelam que a Samsung lidera a lista das 250 maiores empresas mundiais de produtos de grande consumo, registando receitas na ordem dos 210 milhões de dólares (cerca de 198 milhões de euros), que tiveram um crescimento de 13,7% no ano fiscal de 2013, que terminou em junho de 2014.

A segunda posição desta lista é ocupada pela Apple, que registou receitas de 170,9 milhões de dólares (cerca de 161,5 milhões de euros) e um crescimento da receita de 9,2%. A Nestlé ocupa o terceiro lugar, com um crescimento de 2,7% e receitas na ordem dos 99,5 milhões de dólares (cerca de 94 milhões de euros).

Em conjunto, as 250 maiores empresas da lista apresentada pela Deloitte, totalizaram cerca de 3,1 biliões de dólares (cerca de 2,9 mil milhões de euros) no período em análise.

Segundo o comunicado da Deloitte relativo às conclusões do estudo, "apesar de a economia global ter voltado a crescer a uma taxa mais lenta do que o esperado", as receitas compostas das 250 empresas em análise "cresceram 5,6%". De acordo com a consultora, cerca de três quartos destas empresas registaram um crescimento das receitas, enquanto metade apresentaram um "rápido crescimento" relativamente ao ano passado.

Ira Kalish, economista-chefe da Deloitte, explicou que "a queda dos preços do petróleo tem afetado consideravelmente a economia global, com o aumento das pressões desinflacionárias, especialmente nos mercados desenvolvidos, como os Estados Unidos, a Europa e o Japão", levando assim a "acelerar o crescimento económico".

O estudo avança ainda que em 2013 foram realizados 1421 negócios de fusões e aquisições entre as empresas do setor, prevendo-se que esse valor se mantenha ou aumente em 2014. No entanto, o valor envolvido nestes negócios entre 2009 e 2012, apresenta uma tendência de crescimento negativa, sendo que em 2013 o valor médio "recupera significativamente".

A lista das 250 empresas apresentada pela consultora foi elaborada com base nas receitas obtidas no ano fiscal de 2013, incluindo os exercícios terminados em junho de 2014.