Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Salgado está no Parlamento para "defender a honra". "Quando morre, um homem deixa a sua reputação"

FOTO LUÍS BARRA

Ex-presidente do BES avisou que ia fazer uma declaração inicial de uma hora - pediu desculpa pela introdução longa, disse que pretende defender a sua família e prometeu responder a tudo o que puder. 

Anabela Campos e Isabel Vicente

"Há um provérbio chinês que diz: um leopardo, quando morre, deixa a sua pele; um homem, quando morre, deixa a sua reputação." Foi com esta frase que Ricardo Salgado iniciou a sua intervenção na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES, numa declaração inicial de uma hora. É, diz, a primeira vez que fala publicamente depois dos acontecimentos de há seis meses. Salgado saiu da presidência do BES a 13 de julho. 

"Remeti-me ao silêncio. Estava a trabalhar para defender a minha honra e a da minha família", sublinhou.

É uma das comissões parlamentares mais concorridas de sempre, a fazer lembrar a mediática intervenção de José Oliveira e Costa na comissão do caso BPN. Estão presentes mais de 30 jornalistas.  

Ricardo Salgado referiu que irá fazer a exposição factual do que aconteceu, sem "falsidades, deturpações e omissões", como tem acontecido.  

O ex-presidente do BES afirmou que, conjuntamente com a sua família, foi ao longo de meses julgado pela opinião pública por "histórias totalmente falsas", relativas à colocação de avultados capitais no estrangeiro, mostrando-se disponível para voltar a comparecer na Assembleia da República para prestar mais esclarecimentos.