Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Ryanair quer entrar em Lisboa antes da Páscoa

  • 333

Depois de Faro e do Porto, transportadora aérea lowcost está em negociações com a ANA-aeroportos para se instalar em Lisboa.

Mário Lino, correspondente no Algarve (www.expresso.pt)

"Estamos interessados noutros aeroportos, incluindo Lisboa", confirma Daniel Carvalho, director de comunicação para a Europa da Ryanair.

Numa conferência de imprensa para divulgar a oferta de 250 mil bilhetes para vários destinos a 5 euros, realizada ontem em Faro, a Ryanair não esconde que depois da abertura em Setembro de uma base no Porto está a negociar com a ANA-aeroportos a possibilidade de estabelecer voar a partir de Lisboa.

"Lisboa tem três milhões de habitantes e perto de 14 milhões de passageiros, enquanto Dublin tem um milhão de habitantes e cerca de 24 milhões de passageiros. Há por isso uma margem interessante para crescimento", garante o responsável.

Portela congestionada

O problema, que já vem de longe, é o congestionamento do Aeroporto da Portela, bem como as taxas de operação, consideradas elevadas pela Ryanair, a lowcost mais popular da Europa.

"A ANA é uma empresa difícil de negociar, a Ryanair também. Eu diria que estão bem uma para a outra", graceja Daniel Carvalho. Mais a sério, acrescenta: "Se a TAP sair do terminal 2, pode haver abertura para uma operação lowcost", refere, sem querer adiantar prazos, uma vez que as negociações ainda decorrem.

Uma coisa é certa: até Março de 2010 a Ryanair vai reforçar a capacidade de aeronaves, passando dos actuais 210 Boeing 737-800 para 240. O que fará com que tenha necessidade de rentabilizar esses aviões, através de novas rotas e 'conquistando' novas bases, entre as quais deverá figurar Lisboa.

Preço médio: 32 euros

Em 2009, a Ryanair foi responsável pelo transporte em Portugal de 2,6 milhões de passageiros, com 21 rotas a partir do Porto e 14 a partir de Faro.

Segundo a empresa, a tarifa média de voo é de 32 euros, contra 66 euros da Easyjet e 208 euros da TAP.

A nível internacional, a lowcost irlandesa responde pelo transporte de 66 milhões de passageiros. Tem mais de 950 rotas e 37 bases em toda a Europa e também no norte de África, em Marrocos.

Desde 1 de Dezembro, a transportadora tem finalmente disponível uma página de reservas em português, isto após ter recebido várias reclamações de clientes que não dominavam a língua inglesa.