Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Rui Silveira: "Tivemos conhecimento sobre créditos do BESA em finais de 2013 e ficámos preocupadíssimos"

Ex-administrador do BES disse na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES que o conselho de administração do BES há muito propunha a gestão do risco operacional no BES Angola

O ex-administrador para as áreas juridica e de auditoria do BES, Rui Silveira, afirmou aos deputados, na comissão parlamentar de inquérito ao caso BES/GES, que o departamento de risco do BES Angola (BESA) "tinha reuniões com a Espírito Santo Finantial Group (ESFG) e esta reportava o estado de arte no banco em Angola. E o que diziam era que estava tudo bem". Rui Silveira refere ainda que nesses relatos era dito que o crédito concedido pelo BESA era focado nas empresas e fortemente colaterizado.

"Quando tivemos conhecimento da situação dos créditos em Angola (5,7 mil milhões de euros), no final de 2013, ficámos preocupadíssimos". E acrecenta: "Tenho aqui a ata que saiu depois da assembleia geral do BES Angola mas sem nomes, por causa do sigilo bancário angolano".

"Reportei desde logo o assunto ao meu colega da área internacional . Posteriormente foi emitida a garantia de Angola relativa aos 5,7 mil milhões de euros", afirmou.

Questionado pela deputada do Bloco de Esquerda , Mariana Mortagua, sobre se estes créditos foram os já referidos pela imprensa no início do ano, Rui Silveira afirma: "o que saiu para a comunicação social é exatamente isso".