Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

RTP1 perde 25% de audiência

Comissão de Análise de Estudo de Meios deverá pronunciar-se em breve sobre a polémica instalada com as críticas da RTP ao novo sistema de audiências da GfK.

Adriano Nobre (www.expresso.impresa.pt)

A quota média de audiências da RTP1 na primeira semana do novo sistema de medição de audiências da GfK caiu 5,2 pontos percentuais, por comparação com o share médio de 20,1% que o canal tinha registado em fevereiro, ainda com o painel da Marktest.

Os dados divulgados pela GfK desde 1 de março revelam que o canal público teve uma quota de mercado na ordem dos 14,9% nesta primeira semana. Ou seja, a estação pública perdeu praticamente 25% da quota de mercado que registava no anterior painel.

O único dia em que se aproximou da média que apresentava com o sistema da Marktest foi na terça-feira, 6 de março, quando a emissão do jogo da Liga dos Campeões entre o Benfica e o Zenith 'puxou' o share médio da estação para os 20,4% nesse dia. Ainda assim, atrás do valor médio apresentado nesse dia pela TVI (21,3%).

No total da semana (ver gráfico), a TVI manteve a liderança de mercado, mas perde dois pontos de quota face a fevereiro, passando para os 23,8%. A SIC cai 1,7% para uma média de 21%. Os canais por subscrição caem 0,3 pontos para 24,6%. O item "outros" - que agrega os sinais não identificados e outros usos dados ao televisor, como jogos de consola ou visionamento de programas gravados - é o que mais sobe: 9,3 pontos de quota, para um share médio de 12,2%.

RTP exige esclarecimentos 

Recorde-se que esta quebra acentuada na quota de audiências da RTP1 já levou a administração do canal público a exigir esclarecimentos até ao final do dia de hoje à Comissão de Análise de Estudo de Meios (CAEM), entidade responsável pelo concurso e posterior processo de supervisão e operacionalização da mudança do anterior sistema de medição de audiência da Marktest para o novo da GfK.

Na base das queixas da RTP estão, entre outros argumentos, dúvidas quanto à fiabilidade técnica e representatividade da amostra no painel de lares do serviço da GfK. Caso considere os esclarecimentos da CAEM insuficientes, a RTP anunciou já que "pretende exercer o direito à realização de uma auditoria por parte de uma entidade de reconhecida independência". Ainda esta semana, por exemplo, a estação denunciou publicamente uma falha técnica que levou os resultados de audiência do canal a ficarem a zero entre as 17h25 e as 17h54.

Em declarações ao Expresso (ler mais na edição de sábado do jornal), o diretor-geral da GfK, António Salvador, manifestou-se "incomodado" com as queixas que a RTP tem apresentado em público, acusando a estação pública de "desonestidade" nalgumas das críticas feitas. Embora admita que espera uma posição firme da CAEM sobre esta polémica, o responsável diz-se, "totalmente tranquilo" em relação ao sistema da GfK, que apresenta "o melhor painel de lares" já alguma vez adotado para a medição de audiências em Portugal.

Sobre o pedido da RTP para a realização de auditorias externas ao sistema, António Salvador recorda que o caderno de encargos que ditou a vitória da GfK no concurso "já prevê a realização dessas auditorias". "E ainda bem que assim é, porque temos de estar sob pressão para que o serviço seja cada vez melhor", diz.

Clique na imagem para ver o PDF

Clique na imagem para ver o PDF