Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

PT/TVI: Mário Lino ouvido hoje no Parlamento

O ex-ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações vai ser hoje ouvido pelos deputados sobre a alegada intervenção do Governo no negócio da compra da TVI pela Portugal Telecom (PT).

A comissão parlamentar de inquérito sobre a alegada intervenção do Governo no negócio da compra da TVI pela Portugal Telecom começa hoje a ouvir o ex-ministro das Obras Públicas, Mário Lino, o primeiro dos 21 convocados.    Mário Lino, que era ministro responsável pelas telecomunicações à altura do negócio PT/TVI, já afirmou publicamente que o Governo não sabia da intenção da PT em comprar a estação de televisão, enquanto o ex-administrador da PT, Rui Pedro Soares - ouvido na comissão parlamentar de Ética -, garantiu nunca ter recebido instruções do primeiro ministro nem ter falado com Mário Lino.    Criada por requerimento potestativo do PSD e do BE, a comissão tem como objetivo "apurar se o Governo, direta ou indiretamente, interveio na operação conducente à compra da TVI e se o fez, de que modo e com que objetivos".   Além disso, a comissão visa "apurar se o primeiro ministro disse a verdade ao Parlamento, na sessão plenária de 24 de junho de 2009", quando referiu que não tinha sido informado sobre o negócio. 

21 convocados na comissão de inquérito

  Para analisar estas questões, os deputados vão ouvir 21 figuras, questionando diferentes temas relacionados com o negócio.    O antigo presidente da Media Capital Miguel Paes do Amaral será ouvido terça feira assim como o jornalista da TVI, Carlos Enes.    Na quarta feira, a Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar ouvirá o ex-assessor da PT, Paulo Penedos e o vice-presidente da Ongoing, Rafael Moura.    Os dois ex-administradores da PT, Rui Pedro Soares e Soares Carneiro, serão ouvidos na quinta feira enquanto as audições de Jorge Tomé (também administrador da PT) e Juan Herrero (administrador da Media Capital) estão marcadas para sexta feira.    O primeiro ministro, José Sócrates, responderá por escrito às perguntas dos deputados, devendo o questionário ser enviado na fase final das audições.     *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.