Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

PT Portugal "tem gestores a mais", diz o presidente-executivo

Na visão de Armando Almeida, a PT Portugal "não tem uma estrutura de custos competitiva"

Nuno Botelho

Armando Almeida foi ao jantar-debate da Associação Portuguesa para o desenvolvimento das comunicações defender uma estrutura de custos "mais competitiva" para a empresa.

Margarida Cardoso, com Lusa

A PT Portugal "tem gestores a mais" e precisa de uma estrutura de custos "mais competitiva", defendeu o presidente executivo da PT Portugal, Armando Almeida, no jantar- debate organizado pela Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações.

Na visão do gestor, a empresa que lidera "precisa de ser mais lean [magra]" e é imperioso "trabalhar nessa área", uma vez que a PT Portugal "não tem uma estrutura de custos competitiva".

Admitindo "grande confusão no mercado" entre a PT Portugal e a PT SGPS, Armando Almeida não quis falar sobre as negociações entre a Oi e a Altice para a compra da PT Portugal, mas reconhece que a motivação dos trabalhadores tem sofrido com a indefinição sobre o futuro da empresa.

Alvo de um processo de venda em atraiu as atenções dos franceses da Altice e dos fundos Bain e Apex, a PT Portugal tem sido alvo de notícias diárias, com reflexos nos seus trabalhadores.  Assim, segundo Armando Almeida, "as pessoas estão preocupadas com a situação", mas quando tudo "estiver clarificado a motivação será acelerada".