Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Presidente do Bundesbank defende resgate a Espanha

  • 333

O presidente do Banco Central da Alemanha considera que o mercado de dívida reagiria de forma positiva "se o programa de ajuda à Espanha fosse além do sector bancário." 

O presidente do Bundesbank, Jens Weidmann, aconselhou hoje a Espanha a recorrer ao resgate europeu enquanto país e a não se limitar ao pedido de ajuda para a recapitalização do sector bancário. 

 "Os balanços bancários são sempre um espelho de toda a economia", argumentou o presidente do banco central alemão, em declarações ao diário alemão Börsen Zeitung. Para Jens Weidmann, a Espanha tem problemas que necessitam de "uma intervenção urgente", como a elevada taxa de desemprego e o grave défice financeiro das suas comunidades autónomas. 

"O mercado de dívida reagiria positivamente se os investidores vissem que o programa de ajuda à Espanha ia além do sector bancário", afirmou o presidente do Bundesbank.  

Em declarações ao jornal alemão, citadas pela agência EFE, Jens Weidmann considerou que o conjunto de medidas, anunciadas pelo Governo espanhol, na passada quarta-feira, para combater o défice, revela a necessidade de "reformas radicais". 

Plano de austeridade ascende a €65 mil milhões

O Parlamento alemão (Bundestag) vai decidir, na próxima quinta-feira, a contribuição alemã para a injeção de liquidez na banca espanhola, um deliberação de deverá ocorrer sem sobressaltos.

 O Governo espanhol aprovou na sexta-feira, em Conselho de Ministros, parte das medidas do plano de austeridade anunciado na quarta-feira pelo presidente do executivo, Mariano Rajoy, e que ascende a 65 mil milhões de euros. 

No final de junho, o Governo espanhol solicitou o pedido de ajuda europeia para recapitalizar o seu sistema financeiro, num valor até 100 mil milhões de euros.