Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Presidente da Fidelidade elogia Fosun. Mas a pressão é grande

  • 333

Jorge Magalhães Correia define o quadro acionista da Fidelidade como quase ideal

Alberto Frias

"O que se espera de nós é que façamos num ano o que fazíamos normalmente em três", afirma o presidente da seguradora, detida pela chinesa Fosun.

O presidente da comissão executiva da Fidelidade, Jorge Magalhães Correia, afirmou esta manhã numa conferência em Lisboa que a equipa de gestão da seguradora foi acolhida pela Fosun de forma "excecional e amigável".

O conglomerado chinês trouxe "fundamentalmente um grande aumento das perspetivas" de crescimento do negócio. A relação de proximidade que é possível ter com a administração da Fosun "seria quase impensável num curto espaço de tempo obter no mundo internacional ocidental", referiu Jorge Magalhães Correia.

Mas a nova política exige uma maior pressão nos resultados. "O que se espera de nós é que façamos num ano o que fazíamos normalmente em três", referiu o gestor.

Tempo e escala

Na sua intervenção no âmbito da apresentação no museu do Oriente do Portugal Economy PE Probe em chinês, Jorge Magalhães Correia definiu o quadro acionista da seguradora como quase ideal. "É um quadro acionista quase ideal, por contar com dois acionistas (CGD e Fosun) que se complementam".

A CGD favorece a "expansão e distribuição e ajuda a reforçar a reputação em Portugal" e a Fosun induziu "um grande crescimento nas perspetivas de crescimento".

A seguradora aprendeu a viver com diferentes noções de tempo e escala. O gestor reconheceu que a Fidelidade tem agora "bastante menos horas de descanso do que tinha", por causa do efeito dos fusos horários e sublinhou o aumento da agilidade das decisões e da execução.

Comparando as duas culturas empresariais, Jorge Magalhães Correia verifica que "nós olhamos mais para as árvores e eles olham mais para a floresta". O acionista da Fidelidade "olha para o mundo inteiro e só essa forma aberta permitiria às empresas chinesas investirem em Portugal".