Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Portugal vai construir camiões ecológicos da Mitsubishi

Londres foi eleita a 'cidade perfeita' para o primeiro teste intensivo aos camiões ligeiros Mitsubishi Fuso Canter Eco Hybrid, que serão futuramente produzidos na fábrica do Tramagal.

Alexandre Coutinho (www.expresso.pt)

Nos últimos 18 meses, a Mitsubishi Fuso colocou 10 unidades da Canter Eco Hybrid nas frotas de oito clientes da zona de Londres - essencialmente, empresas de correio expresso como a TNT, a DHL e a Royal Mail; de manutenção de estradas ou de electricidade, como a Ringway e a Amey; ou de cadeias de distribuição, como a Tesco e a Banner - por um período de três anos, que terminará em Agosto de 2011. "Não lhes pedimos nada, nem que circulassem por estradas 'fáceis' ou uma condução mais suave, apenas o serviço do dia-a-dia", revelou Ian Jones, director-geral dos veículos comerciais Mercedes-Benz no Reino Unido.

No total, estas Canter já percorreram mais de 260 mil quilómetros (com médias que variam entre os 12 e os 48 mil quilómetros), que se traduziram por poupanças de 5000 litros de gasóleo e por uma redução de 13 toneladas de CO2. A Canter Eco Hybrid consome menos 10 a 15% de combustível (menos de 17 litros aos 100 km) do que um camião convencional equivalente (7,5 toneladas), "e com o sistema de 'stop and start' idêntico às Canter que circulam no Japão, poderiam ter poupado mais 4,5 a 7,8%", revelou Fumio Akikawa, director do Global Hybrid Center da Mitsubishi Fuso.

"Verificámos que os veículos encontraram em Londres condições mais severas do que os testados no Japão. A velocidade média foi praticamente o dobro e com mais peso transportado, mas sem problemas de maior", sublinhou Ian Jones. Estas performances traduziram-se por uma maior regeneração de energia na desaceleração (energia que é usada na aceleração seguinte) e, consequentemente, por uma maior eficiência na utilização do sistema híbrido (84,7%, no caso das Canter operadas pela TNT).

Componentes híbridos

Construídos na fábrica portuguesa do Tramagal - que produz este veículos em exclusivo para toda a Europa - os chassis-cabina da Canter foram depois para Magstadt, na Alemanha, onde lhes foram instalados os componentes híbridos, como o motor eléctrico MHI (Mitsubishi Heavy Industries), as baterias de iões de lítio Hitachi (96 células com um total de 346 v/5.5 Ah e uma capacidade de 1.9 kWh), desenhadas para uma vida útil de 10 anos ou 180 mil milhas/300 mil quilómetros.

No sistema de híbrido paralelo adoptado pela Fuso, o motor eléctrico é acoplado ao motor a diesel de 3.0 litros de cilindrada (com 145 cv de potência e um binário de 362 Nm), com um inversor, uma embraiagem automática e uma transmissão semi-automática ATM (Automatic Manual Transmission). A vantagem deste sistema traduz-se pela possibilidade de o motor eléctrico estar apto a ser o propulsor do camião por si só e em paralelo com o motor a combustão. Algo que o condutor da Canter Eco Hybrid facilmente experimenta nos momentos iniciais de arranque do veículo.

Desde 2006, que uma equipa de uma centena engenheiros liderada por Fumio Akikawa trabalha no desenvolvimento destes veículos no Global Hybrid Center da Mitsubishi Fuso, em Kawasaki, no Japão. "Concentramos ali todo o know-how alemão, japonês e americano, mas também uma central de compras de componentes híbridos, que são muito caros. Depende de cada país mas, sem subsídios, a comercialização destes veículos não seria viável" confessa o mesmo responsável. No Japão, a diferença de preço entre uma Canter convencional e uma Eco Hybrid ronda os 10 mil, beneficiando de um incentivo de 8000.

Preço acessível

Este engenheiro japonês ainda não tem data para aquilo que define como o "momento mágico", em que as poupanças obtidas, conjugadas com um preço acessível da viatura, tornarão o retorno do investimento exequível. "O custo das baterias está a descer significativamente de ano para ano, sendo hoje cerca de metade do que era há cinco ou seis anos", lembra.

Com base nos resultados recolhidos neste teste londrino, Fumio Akikawa e a sua equipa trabalham já na terceira geração da Canter Eco Hybrid, caracterizada por uma maior optimização da recuperação de energia e por uma maior eficiência da conjugação entre inversor e motor. No horizonte do construtor, está um veículo especificamente desenhado para o mercado europeu.

Face ao sucesso já demonstrado, com as vendas a crescerem apesar da recessão económica, Ian Jones prevê um grande sucesso para a Canter híbrida. Além do Japão, estas viaturas já foram introduzidas em Hong Kong, na Austrália e na Irlanda e chegarão, brevemente, a Singapura e à Europa. Circulam, actualmente, pouco mais de 1000 unidades da Canter híbrida, 99% das quais unidades produzidas no Japão.

Contudo, ainda não há datas para a entrada em produção da Mitsubishi Fuso Canter Eco Hybrid na fábrica do Tramagal. "Tudo depende do volume de procura", frisa Fumio Akikawa. As previsões da fábrica portuguesa, para 2010, apontam para uma produção entre as 6000 e as 7000 unidades, número que poderá ser revisto em alta em função do aumento das encomendas.

O ano de 2010 marca, igualmente, o 30º aniversário do arranque da construção das primeiras unidades da Mitsubishi Canter em Portugal (1980), onde é agora produzida para três dezenas de mercados europeus. Desde 2003, a Fuso Canter foi integrada no portfólio de produtos da Daimler Trucks.