Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Peugeot e Citroën agravam quebra da produção automóvel nacional

  • 333

As fábricas de automóveis portuguesas registaram uma quebra de 16,9% em fevereiro, para a qual contribuíu a redução homóloga de 2.173 veículos produzidos em Mangualde pela PSA.

J. F. Palma-Ferreira

A indústria automóvel nacional registou uma quebra de 16,9% no número de veículos produzidos em fevereiro, para a qual contribuiu a redução das viaturas comerciais e, em particular, a contração de 39,9% na atividade da fábrica da PSA - Peugeot-Citroën em Mangualde. Ao todo, em termos homólogos, em fevereiro a PSA produziu menos 2.173 veículos das marcas Peugeot e Citroën.

Segundo dados da ACAP - Associação Automóvel de Portugal, em Fevereiro de 2015 foram produzidos 13.484 veículos automóveis nas fábricas nacionais, o que corresponde a menos 16,9% que os 16.225 veículos produzidos em igual mês do ano passado.

Por outro lado, a ACAP refere que o nível de produção de fevereiro de 2015 "situa-se 11,4% abaixo da produção média em fevereiro nos últimos cinco anos", que foi de 15.223 veículos.

Esta evolução negativa da produção no mês de Fevereiro foi determinada pelo decréscimo do fabrico de veículos ligeiros de passageiros (-12,7%) e de veículos comerciais ligeiros (-31,2%), pois a produção de veículos pesados cresceu 27,4 por cento, face ao ano anterior.

Do total da produção de fevereiro de 2015, foram enviados para exportação 12.797 veículos, o que corresponde "a 94,9% da produção nacional e a menos 19% do que as exportações efetuadas no mês homólogo do ano anterior", refere a ACAP.

A Autoeuropa, a maior fábrica do setor em Portugal produziu 9.211 veículos em fevereiro, menos 7,7% que os 9.979 veículos que tinha produzido em igual mês do ano passado. A PSA de Mangualde apenas fabricou 3.658 veículos em fevereiro de 2015, o que compara com os 5.831 veículos que tinha fabricado no mês homólogo de 2014.