Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Passos admite estar a pedir "um nível de sacrifício muito elevado"

  • 333

Passos Coelho deixou "uma palavra de compreensão" aos portugueses, por saber que está a pedir "um nível de sacrifício muito elevado", mas sublinha que o país tem um caminho de "muito trabalho".

O Primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, quis deixar hoje "uma palavra de compreensão" aos portugueses, sublinhando ter consciência de que está a pedir às pessoas "um nível de sacrifício muito elevado".

Questionado sobre as manifestações agendadas para hoje à tarde, Passos Coelho, que visitou a Feira da Golegã com a ministra da Agricultura, Assunção Cristas, afirmou ser natural que as pessoas se possam manifestar, compreendendo que os portugueses "se questionem como foi possível chegar aqui".

Passos Coelho reconheceu o direito de as pessoas se manifestarem, deixando "uma palavra a todos de compreensão", por saber que está a ser pedido "um nível de sacrifício muito elevado".

Caminho é de muito trabalho

Segundo o Primeiro-Ministro, o caminho que o país tem que seguir "é de muito trabalho, de muito afinco" para que o país possa recuperar.



"Apelo a todas as pessoas para defenderem o país e menos paralisar o país ou tornar ainda mais difícil a nossa missão", afirmou.



Passos Coelho considerou ainda "infelizes" as declarações de Otelo Saraiva de Carvalho, recusando, contudo, fazer qualquer comentário.