Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Palha da Silva recusa convite para a Cimpor

Luís Palha da Silva afirmou estar "indisponível" para o cargo de presidente do conselho de administração da Cimpor.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) anunciou que Luís Palha da Silva disse estar indisponível para aceitar o cargo de presidente do conselho de administração da Cimpor, para o qual tinha sido convidado.   O banco liderado por Faria de Oliveira refere que na sequência de "conversações havidas entre acionistas", Luís Palha "comunicou a sua indisponibilidade para integrar a lista para o conselho de administração, designadamente como seu presidente, para que havia sido convidado e que merecera a sua aquiescência".    A decisão do atual presidente da Jerónimo Martins foi conhecida em comunicado da CGD enviado quinta feira à noite à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).     Os órgãos sociais da cimenteira portuguesa vão ser eleitos na assembleia geral agendada para o próximo dia 29.      A CGD detém 9,6% da Cimpor.       Entre os maiores acionistas da cimenteira portuguesa estão as brasileiras Camargo Corrêa e Votorantim.       Ricardo Bayão Horta renunciou, a 18 de março, ao cargo de presidente do conselho de administração e da comissão executiva da Cimpor.       *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.