Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Obras Públicas: PSD fala em contradições do Governo

Os sociais democratas acusam o Governo de contradições no investimento público e pedem clareza nas opções.

O PSD apontou hoje contradições entre os ministros das Finanças, Teixeira dos Santos, e das Obras Públicas, António Mendonça, e pediu ao Governo que clarifique qual a sua opção em matéria de investimento público.     "É preciso clareza por parte do Governo, nós ouvimos hoje o ministro das Finanças dizer uma coisa e o ministro das Obras Públicas dizer uma coisa diferente, é preciso que o país saiba qual é a opção do Governo", afirmou Jorge Costa.     O deputado social democrata falava aos jornalistas após a conferência de imprensa de António Mendonça, em que o ministro das Obras Públicas garantiu que o comboio de alta velocidade (TGV) entre Lisboa e Madrid, o novo aeroporto e a terceira travessia do Tejo vão avançar e que será reavaliado apenas o projeto autoestradas do centro.     "O ministro das Finanças disse hoje que todas as obras relativamente às quais não existam ainda compromissos financeiros, ou seja não estejam ainda contratadas, que seriam reavaliadas e suspensas. O sr. ministro das Obras Públicas vem dizer ao final da tarde que na prática mantém tudo, à exceção de uma concessão das auto estradas", notou Jorge Costa.     Para o PSD, "é necessário clareza, que o Governo decida e se deixe de envolver em mais contradições".  

Fazer opções 

"Como não há dinheiro é preciso fazer opções e a opção neste momento que está em cima da mesa é saber onde se aplicam os recursos que ainda podem existir disponíveis, é preciso saber se os recursos vão para as grandes obras públicas ou vão para o apoio às empresas e famílias", sublinhou.     Jorge Costa salientou que "o apoio às empresas e famílias é fundamental neste momento porque são elas que criam emprego, que permitem que exista atividade económica, que se combata o desemprego".     "De outra forma nós estaremos num caminho errado", alertou.     Questionado se esta posição significa que não acordo possível entre PS e PSD em matéria de investimento público, Jorge Costa reiterou que "enquanto não houver clareza não se pode falar em questões de acordo".             *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***  

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.