Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Obama não acredita no fim do euro

  • 333

Apesar de "não acreditar de todo que os europeus deixarão o euro se desmoronar", o Presidente norte-americano diz que a Europa tem de adotar "medidas decisivas" para salvar a moeda única.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou na segunda-feira que não acredita no fim da zona euro na sequência da crise da dívida, mas defendeu a adoção de "medidas decisivas" para se enfrentar tal ameaça.

Num discurso proferido na noite de segunda-feira em Nova Iorque, perante alguns democratas que apoiam a sua campanha às presidenciais, Obama salientou que a situação económica nos Estados Unidos ainda é precária e alertou para "ventos contrários nos próximos meses".

"A Europa ainda é um problema, e muita gente nesta sala que tem negócios com a Europa compreende isso", observou Obama perante cerca de 60 pessoas, entre as quais responsáveis de empresas de Wall Street.

O presidente norte-americano disse "não acreditar de todo que os europeus deixarão o euro se desmoronar", mas notou a necessidade de aqueles "adotarem medidas decisivas", sem especificar quais.

"Passo muito tempo a procurar trabalhar com eles, e [o Secretário norte-americano do Tesouro] Tim Geithner passa muito tempo a trabalhar com eles para garantir que percebem que quanto mais depressa adotarem medidas decisivas, mais depressa estaremos em melhor posição", concluiu.