Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

O que pergunta Cavaco quando visita uma empresa?

  • 333

Cavaco Silva e a mulher durante a visita à fábrica da Impetus onde se fabricam peças de roupa interior. O cicerone é o fundador e proprietário da empresa, Alberto Figueiredo

Rui Duarte Silva

Na primeira paragem de uma jornada de homenagem à industria têxtil e do vestuário, integrada no roteiro presidencial para uma economia dinâmica, Cavaco Silva visitou uma fábrica de roupa interior da qual é cliente.

O maior mercado é Espanha? 2015 vai ser um ano recorde? Têm capacidade instalada para produzir mais? Estas foram as três perguntas de Cavaco Silva durante a apresentação do grupo Impetus, primeira etapa de uma jornada de homenagem à industria têxtil e do vestuário integrada no roteiro presidencial para uma economia dinâmica.

Na Impetus, o chefe do Estado encontrou um exemplo perfeito para o objetivo de mostrar casos de sucesso e empresas competitivas capazes de vender bem o made in Portugal. Criada em 1973 por Emília e Alberto Figueiredo casados de fresco, o grupo nasceu como uma pequena indústria com seis trabalhadores na casa velha de uma tia em que a cozinha foi transformada em armazém.

Cavaco veste Impetus

Especializado na produção de roupa interior de que Cavaco Silva é cliente, como confidenciou orgulhosa uma das funcionárias ao Expresso, o grupo tem hoje 12 empresas, 860 trabalhadores, uma produção de 4,6 milhões de peças e um volume de negócios de 41,6 milhões de euros, 95% do qual dedicado à exportação para 38 países.

As respostas dadas a Cavaco Silva foram claras. França é o maior cliente, 2015 será um ano recorde com crescimento de dois dígitos e em 2016 a Impetus prevê ampliar o seu parque industrial.

O grupo presidido por Alberto Figueiredo, a trabalhar na marca própria Impetus desde 1985, passou os anos de crise com um "orçamento rigoroso, corte drástico nas despesas, aumento das exportações e redução forte do endividamento". Desde 2009 investiu 10,3 milhões de euros, viu o volume de negócios crescer 10 milhões de euros e o endividamento cair de 17,8 milhões para 8,5 milhões de euros.

Solução para pessoas incontinentes

Para o futuro, as apostas passam pela solução protech dry, para pessoas incontinentes, a criação de uma cueca para tetraplégicos com um sensor de alerta para avisar quando é preciso mudar, um produto para correção postural da coluna, desenvolvimento de vestuário para obesos e concretização de um projeto que integra uma faixa de eletroestimulação na própria peça.

Nesta empresa, que tem uma fábrica em Cabo Verde, Cavaco Silva ouviu o empresário Alberto Figueiredo apelar aos industriais portugueses para pensarem neste arquipélago quando procuram destinos de deslocalização.

Na jornada de hoje, o Presidente da República vai ainda visitar as têxteis Scoop e Riopele, os centros tecnológicos Citeve e Centi e estar presente na comemoração dos 50 anos da ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal.

Em 2014 a industria têxtil viveu o melhor dos seus últimos 11 anos com as exportações a crescerem 8% para os 4,6 mil milhões de euros.