Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Novo Banco com prejuízos de 467,9 milhões de euros

  • 333

Nuno Botelho

O rácio de capital da instituição liderada por Stock da Cunha fixou-se nos 9,6% em 31 de dezembro de 2014.

O Novo Banco registou um prejuízo de 467,9 milhões de euros entre 4 agosto e 31 de janeiro, segundo um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

As provisões totalizaram o valor de 699,1 milhões de euros, "o que conjuntamente com o aumento registado nos custos com impostos decorrentes da alteração da taxa de IRC aplicável no apuramento dos impostos diferidos, condicionou o resultado do Grupo Novo banco", refere a instituição.

"O facto de a economia portuguesa e europeia ainda não terem entrado num ciclo de crescimento mais vigoroso, propiciador de um ambiente atrativo de investimento e de redução do desemprego, não permitiu que se verificasse uma inversão dos índices de risco e, consequentemente, uma redução significativa do reforço de provisões para fazer face às imparidades", acrescenta.



O banco realça ainda a recuperação de 4,2 mil milhões de euros da carteira de depósitos no quarto trimestre, sustentando que "constitui a demonstração da confiança dos clientes no Novo Banco e da retoma da normalidade operacional".

Já os custos operativos do banco somaram 368,6 milhões de euros.



O rácio de capital da instituição liderada por Eduardo Stock da Cunha fixou-se nos 9,6% em 31 de dezembro de 2014.  

[Em desenvolvimento]