Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Morreu Amadeu Ferreira, amante da língua mirandesa

  • 333

Marcos Borga

Amadeu Ferreira foi um dos maiores divulgadores da língua mirandesa. Morreu hoje aos 64 anos. Era também, poeta e escritor e editou em duas línguas : mirandês e português. Jurista era vice presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários 

Natural de Sendim, concelho de Miranda do Douro, Amadeu Ferreira, morreu de doença prolongada. Lutador por natureza foi sempre um homem de convicções e princípios. Na doença lutou até ao fim, sempre com a energia que o caracterizava. Uma energia positiva. Escreveu vários livros e chegou a traduziu varias obras para mirandês, como Os Lusíadas, de Luis de Vaz de Camões, Mensagem de Fernando Pessoa, entre outras obras, como dois volumes de Astérix. 

Era presidente da Associaçon de la Lhéngua i Cultura Mirandesa, presidente da Academia de Letras de Trás - Os -Montes, vice presidente da CMVM e professor convidado da Faculdade de Direito da universidade Nova de Lisboa. Desde 2004 comendador da Ordem De Mérito da Republica Portuguesa.

A sua biografia, Belheç/Velhice, tem lançamento agendado para dia 5 de março, na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. A mesma contou com vários testemunhos de pessoas com quem ao longo da sua carreira conviveu. 

Cumprindo a sua vontade não haverá cerimónias fúnebres. Serão, contudo, realizadas duas homenagens em sua memória: uma na terça-feira na Casa de Trás-os-Montes, a partir do meio da tarde e outra na quarta -feira à tard , na Casa de Sendim, onde os quem quiser, em particular os amigos  poderão prestar lhe homenagem.

O Conselho de Administração da CMVM em comunicado sublinha o "empenho, competência, companheirismo e dedicação à CMVM", referindo ainda que o desaparecimento de Amadeu Ferreira  "representa uma grande perda pessoal e institucional". 

A CMVM apresenta também os sentimentos à família "de profundo pesar e de sinceras condolências". 

O presidente da CMVM, Carlos Tavares, escreve uma mensagem pessoal expressando  "nesta hora tão difícil, todo o meu respeito e a minha admiração pela pessoa e pela obra do Dr. Amadeu Ferreira e recordar aquilo que sobre ele escrevi no livro biográfico "O Fio das Lembranças", que será publicado no dia 5 de março: 

 

"A vida do Amadeu, quase já se confunde com a da CMVM que ele abraçou desde o seu nascimento há 23 anos. Nela, ele foi quase tudo, desde técnico, director, membro do Conselho Directivo e vice-presidente. Sem esquecer o seu papel na Associação dos Empregados da CMVM onde chegou a ser o condutor do seu grupo musical. Por tudo isto, tenho de agradecer ao Amadeu Ferreira em nome da CMVM, o contributo essencial para a tornar na instituição respeitada que é".