Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mau tempo nas Bolsas em sexta-feira azarada

  • 333

O apagão desta manhã na rede da Bloomerg, que fornece terminais aos maiores grupos financeiros mundiais, também condicionou os negócios

Justin Lane/EPA

Uma onda de notícias negativas levou investidores a vender ações. Até um apagão na rede da Bloomberg afetou os negócios. Na Europa, a Bolsa helénica caiu 3%. Nos EUA, o dia também está a ser de perdas.

As Bolsas europeias fecharam em forte queda e nos Estados Unidos a tendência também é negativa devido a receios em torno da Grécia, resultados desapontadores de empresas e temores sobre novas regras de negociação bolsista na China.

O facto de nesta sexta-feira expirarem contratos de futuros e opções contribiu para a volatilidade nas Bolsas, referem operadores. E um apagão desta manhã na rede da Bloomerg, que fornece terminais aos maiores grupos financeiros mundiais, também condicionou os negócios.



Resultados abaixo do previsto da sueca SKF prejudicaram igualmente o sentimento dos investidores, que após os máximos que têm sido registados nas Bolsas aproveitaram para vender.



Em Lisboa, o índice PSI-20 perdeu 2,26% enquanto a Bolsa grega afundou 3%. O índice europeu Stoxx 600 recuou 1,76%.



Em Wall Street, o índice Nasdaq desce 1,43% e o Dow Jones recua 1,35%. A American Express, a Honeywell e a General Electric estão entre as empresas norte-americanas cujos resultados falharam as estimativas dos analistas, explicados em parte pelo dólar forte.



A mais recente estrela em Bolsa nos EUA, que estreou esta quinta-feira no mercado, a Etsy, segue hoje a cair 8,2% para 27,54 dólares. Ontem, a empresa, que consiste num mercado online de venda de produtos artesanais, mais do que duplicou o seu valor, ficando avaliada em 4000 milhões de dólares (3700 milhões de euros). A Etsy encaixou cerca de 267 milhões de dólares com a sua entrada em Bolsa.



BCP afunda 6%

Em Lisboa, todas as ações fecharam a descer, com as do Millennium bcp a liderarem as descidas em termos percentuais com uma queda de 5,7% para 0,0808 euros.

Seguiu-se a Impresa com uma desvalorização de 4,59% para 0,997 euros e a Mota-Engil que afundou 4,2% para 3,135 euros.