Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Maria Luís. "Não serão necessárias medidas adicionais", mas o "Governo ajustará" quando "for necessário"

  • 333

FOTO GEORGES GOBET/AFP/Getty Images

A propósito do cumprimento das metas do défice, a ministra das Finanças diz que Portugal mantém a sua posição, apesar das advertências do Eurogrupo e da Comissão.

Raquel Pinto

Questionada pelas advertências feitas esta segunda-feira pelo Eurogrupo, em consonância com as dúvidas levantadas pela Comissão Europeia - Bruxelas considera que ainda que o défice inscrito no Orçamento do Estado para 2015 seja alcancável, novas medidas podem estar no horizonte -, Maria Luís Albuquerque entende ser suficiente o que está orçamentado. 

"Nós mantemos a nossa posição: vamos sair do procedimento por défice excessivo este ano e que não serão necessárias medidas adicionais", afirmou esta segunda-feira a ministra das Finanças durante a conferência de imprensa após a reunião do Eurogrupo. 

Ainda assim, a ministra de Passos reiterou o que "já disse no passado": "O Governo português mantém-se atento e ajustará a estratégia quando for necessário".