Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Luanda é a cidade mais cara do mundo

Luanda é a cidade mais cara do mundo, segundo um estudo da Mercer

Ana Baião

Capital angolana, onde alojamento custa três vezes mais do que em Lisboa, entra diretamente para 1º lugar da tabela, destronando Tóquio.

Catarina Nunes (www.expresso.pt)

Luanda é a cidade mais cara do mundo, de acordo com o estudo da consultora Mercer, "Cost of Living Survey 2010", realizado em Março. Tóquio (Japão) e Ndjamena (Chade) ocupam, respetivamente, o segundo e o terceiro lugar. Lisboa surge na 72ª posição, enquanto o fim da tabela é ocupado por Karachi, capital financeira do Paquistão (214ª), que em média é três vezes mais barata do que Luanda.

O estudo da Mercer abrange 214 cidades, mais 71 do que em 2009, de todos os continentes e mede o custo comparativo de cerca de 200 produtos representativos dos padrões de consumo dos executivos expatriados. Habitação, transportes, alimentação, vestuário, bens domésticos e entretenimento são os segmentos analisados.

Alojamento custa o dobro do de Tóquio 

O objetivo do estudo é ajudar os governos e as empresas multinacionais a determinarem os processos de remuneração a atribuir nos processos de transferência de empregados para projectos internacionais. O custo de alojamento, normalmente a despesa com maior relevância para os expatriados, tem um peso importante na determinação da posição das cidades no ranking. Daí a liderança de Luanda onde o alojamento custa o dobro do que em Tóquio (a segunda cidade da tabela) e o triplo do que em Lisboa.

O preço de uma refeição rápida como hambúrguer, outro dos indicadores analisados, também espelha o custo de vida em Luanda. Na capital angolana, essa refeição custa 12,7 euros, muito acima dos 4,65 euros cobrados em Lisboa ou dos 2,51 euros pagos em Pequim.

A edição de 2010 do estudo inclui mais cidades africanas do que as edições anteriores, reflectindo a importância económica crescente desta região em vários sectores de actividade. Muitas das cidades africanas que já constavam de estudos anteriores subiram de posição na tabela, devido ao elevado custo de vida que apresentam aos expatriados. O 'top ten' inclui três cidades africanas, três asiáticas e quatro europeias.