Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Europa

David Cameron: "Vou trabalhar para uma posição menos onerosa para a Grã-Bretanha na União Europeia" (Telegraph)

  • 333

Num artigo publicado no Telegraph, David Cameron analisou a relação entre o Reino Unido e a UE e como ela deve evoluir. Ele vê o Reino Unido como um interveniente activo na UE, mas não no caminho de uma maior integração. E considera a realização dum referendo quando for a hora certa.

David Cameron:
David Cameron: "É vital para o nosso país - para a força de nossa economia, para a saúde da nossa democracia e para a influência de nossa nação - encontrarmos o caminho certo para a nossa relação com a Europa. (...) O passado governo deveria ter realizado um referendo sobre o Tratado de Lisboa. Não o fizeram e por isso, este governo criou um compromisso de referendo para que nenhum governo possa voltar a transferir poderes da Grã-Bretanha para Bruxelas, sem antes perguntar o povo britânico.

A moeda única está a determinar um processo que vai levar os seus membros a darem cada vez mais passos em direcção a uma plena integração. (...) Nós mostrámos que não só podemos ficar de fora dessa integração, mas que também podemos sair das coisas - como os fundos de resgate - de que não gostamos. Na cimeira de sexta-feira, garantimos que as peças-chave da união do sistema bancário seriam feitas pelo Banco Central Europeu para os membros da zona euro e não para nós. Nós não vamos resgatar os bancos gregos ou portugueses, e os nossos bancos serão regulados pelo Banco da Inglaterra, e não pelo BCE. (...)

Vou continuar a trabalhar para uma posição diferente, mais flexível e menos onerosa para a Grã-Bretanha na UE."
fonte: David Cameron: We need to be clear about the best way of getting what is best for Britain | Telegraph