Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Juros da dívida italiana bateram recordes

  • 333

As yields dos títulos do Tesouro italiano fixaram segunda-feira novos máximos. Os juros a 5 anos já estão mais elevados do que os a 10 anos e mais próximos do patamar dos 7%. Risco de default subiu

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

Nas vésperas de uma votação parlamentar em Roma que poderá dar um sinal sobre a permanência de Berlusconi à frente do governo italiano, as condições de crédito do país deterioraram-se na segunda-feira (7 de novembro).

O preço dos credit default swaps (seguros contra o risco de incumprimento) ligados à dívida italiana fechou em mais de 512 pontos base - o patamar dos 500 pontos base é considerado uma zona de viragem para uma espiral de degradação da situação de crédito. Em consequência, a probabilidade de incumprimento (risco de default) subiu 1 ponto percentual em relação ao fecho de sexta-feira. Segundo dados da CMA DataVision, esse risco fechou segunda-feira (7 de novembro) em 35,91% contra 34,85% na sexta-feira (4 de novembro).

No mercado secundário da dívida a situação foi ainda mais alarmante. As yields (uma taxa de rentabilidade comummente referida, neste caso, por juros da dívida) dos títulos do Tesouro italiano (BTP) dispararam em todas as maturidades. Neste momento, já há três maturidades - a 3, a 5 e a 10 anos - com yields acima de 6,5%, segundo dados do fecho de segunda-feira dados pela Bloomberg. O disparo mais acentuado foi o das yields dos BTP a 5 anos que alcançaram hoje o recorde de 6,7%, já acima dos 6,6% dos BTP a 10 anos. Também, as yields dos BTP a 2 anos se aproximaram do patamar dos 6%.Em todas as maturidades foram fixados novos máximos históricos, desde a criação do euro.

O "teste" dos 7% poderá verificar-se terça-feiranas maturidades a 5 e a 10 anos. Os 7% são considerados uma linha vermelha.