Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Jorge Tomé diz que já havia interesse da PT na TVI

"Houve noutras ocasiões manifestação de interesse na compra da TVI por parte da comissão executiva da PT", afirmou o administrador da Caixa Geral de Depósitos.

O administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD) Jorge Tomé disse hoje que o conselho executivo da Portugal Telecom (PT) já tinha manifestado interesse na aquisição da TVI noutras ocasiões.   "Houve noutras ocasiões manifestação de interesse na compra da TVI por parte da comissão executiva", disse hoje Jorge Tomé na comissão de inquérito parlamentar sobre a alegada intervenção do Governo no plano da PT para comprar a estação de Queluz, acrescentando que o assunto "nunca foi discutido" no conselho de administração".    Jorge Tomé, que representava a CGD no conselho de administração da PT, disse aos deputados "não estranhar que houvesse negociações com a Prisa", já que era "coerente com o que a comissão executiva [presidida por Zeinal Bava] vinha defendendo sobre esse aspeto". 

Compra sem consenso 

No entanto, Jorge Tomé acrescentou que a compra de um canal de televisão por parte da PT "não era consensual" no conselho de adiministração, ao contrário da presença da empresa no negócio da televisão e conteúdos, que "reúne consenso".   O administrador da CGD garantiu que só soube das negociações no dia 25 de Junho na reunião do conselho de administração, quando o assunto foi abordado por Henrique Granadeiro.    "A 25 de Junho, na reunião do conselho de administração, conheci o negócio. O que nos foi dito foi que havia contatos com a Prisa", referiu.   Jorge Tomé deixou, em outubro de 2009, de representar a CGD no comité de investimentos da PT. 

Polémica antecipou decisão 

A decisão de Jorge Tomé surgiu logo a seguir à polémica em torno do investimento de 75 milhões de euros que a operadora liderada por Zeinal Bava fez em fundos geridos pela Ongoing, empresa que tem uma participação na Portugal Telecom e que tentou comprar a Media Capital, proprietária da TVI, depois de a PT ter desistido.    Criada por requerimento potestativo do PSD e do BE, a comissão tem como objeto "apurar se o Governo, direta ou indiretamente, interveio na operação conducente à compra da TVI e, se o fez, de que modo e com que objetivos".   Além disso, a comissão visa "apurar se o primeiro ministro disse a verdade ao Parlamento, na sessão plenária de 24 de junho de 2009", quando referiu que não tinha sido informado sobre o plano.    Para analisar estas questões, os deputados querem ouvir 21 figuras. O primeiro ministro será o último a ouvir e através de depoimento escrito.       ***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.