Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Low cost: Preço de refeição aumenta com a altitude

Os preços das refeições praticados pelas companhias low cost são muito superiores aos praticados nos supermercados ou até nos aeroportos, revela um estudo feito pelo site travelsupermarket.com.

João Oliveira (www.expresso.pt)

Os preços das refeições praticados pelas companhias low cost são muito superiores aos praticados nos supermercados ou até nos aeroportos, revela um estudo feito pelo site travelsupermarket.com.

A diferença dos preços vai até 374% em relação aos preços do supermercado, registando-se as maiores discrepâncias nas batatas fritas, pãezinhos e queques, enquanto que a menor diferença diz respeito aos chocolates.

Um pacote de Pringles, que custa 74 pences (cerca de 84 cêntimos) num supermercado, vale £2 (à volta de €2,30) na Monarch.

Por outro lado, uma sanduíche que custe as mesmas £2 num supermercado e £2,40 (€2,75) no aeroporto custa £4,39 (€5) na Ryanair e £3,95 (€4,5) na Flybe.

Siga alguns conselhos...

Para poupar dinheiro, os analistas que efectuaram o estudo aconselham os passageiros a levarem alguma comida de casa, uma vez que não há a mesma restrição de segurança aplicada às bebidas.

Para além disso, as pessoas podem ainda comprar refeições nos aeroportos, depois de passarem pelo check-in, onde podem obter mais variedade de produtos do que a bordo.

As companhias low cost compreendidas por este estudo foram Flybe, Thomson, Thomas Cook, Ryanair, easyJet, Monarch, bmibaby e a Jet2, que operam no Reino Unido.

O estudo decorreu nos aeroportos de Manchester, Gatwick e Heathrow, bem como nos sites de reserva de voos Asda e mysupermarket.com.