Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Greve na Refer corta circulação de comboios

António Pedro Ferreira

A greve da Refer está a impedir a a circulação de comboios em todo o país, mas os serviços mínimos estão a ser cumpridos.

A greve na Refer vai "afetar seriamente" a circulação de comboios de passageiros e mercadorias. Segundo a federação sindical Fectrans, durante o dia só deverão circular os comboios correspondentes aos serviços mínimos definidos pelo Tribunal Arbitral.

Apenas 17 dos 62 comboios programados entre as 0h e as 6h desta quinta-feira circularam, cumprindo os serviços mínimos. A Fectrans e a CP admitem que este cenário se repitirá durante todo o dia.

A greve de 24 horas dos trabalhadores da Refer, a gestora da infraestrutura ferroviária, serve para contestar a anunciada fusão da empresa com a Estradas de Portugal (EP) que, segundo a Fectrans  "não é sustentada por nenhum estudo que aponte benefícios".

 

Bilhetes reembolsados no Alfa Pendular, Intercidades e Regional

"Até às 6h, só 27% das ligações se realizaram, isto é, 17 em 62 comboios", confirma a porta-voz da CP. Os serviços mínimos definem uma em cada quatro ligações nas horas de ponta (6h30-10h) e uma em cada cinco entre as 10h e as 16h30. Os serviços mínimos podem ser consultados na página da Internet da CP ou através do call center da companhia.

Aos clientes que já tenham bilhetes adquiridos para comboios Alfa Pendular, Intercidades e Regional que não se realizem, a CP permitirá o reembolso no valor total do bilhete adquirido ou a sua revalidação, sem custos, para outro dia/comboio.

O processo de fusão da Refer e da EP está a ser conduzido por uma comissão, composta por seis elementos e liderada por António Ramalho, atual presidente da Estradas de Portugal.