Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Grécia nunca abandonará o euro, promete ministro das Finanças

"A Grécia é, e será sempre, um membro da zona euro (...) vamos fazer tudo o que for necessário, nunca poremos em risco o futuro do país nem o seu lugar na zona euro", afirmou o ministro das Finanças grego.

A Grécia ficará para sempre na zona euro, garantiu hoje o ministro grego das Finanças, Evangelos Venizelos, depois de dois dias de conversações com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional sobre a crise da dívida.

"A Grécia é, e será sempre, um membro da zona euro (...) vamos fazer tudo o que for necessário, nunca poremos em risco o futuro do país nem o seu lugar na zona euro", afirmou Venizelos, numa intervenção no parlamento.

A 'troika' da União Europeia, do Banco Central Europeu e do Fundo Monetário Internacional concordou, ao final de terça-feira, depois de dois dias de negociações, recomeçar as auditorias aos progressos de Atenas na implementação das medidas de austeridade a que o governo grego se comprometeu para receber o empréstimo de resgate, de 110 mil milhões de euros, decidido em 2010.

As conclusões destes trabalhos vão permitir à 'troika' decidir se atribui a Atenas a próxima 'tranche' do empréstimo de 110 mil milhões, no valor de oito mil milhões de euros, financiamento de que a Grécia necessita para evitar o incumprimento no início do próximo mês.

Venizelos afirmou hoje que serão necessárias mais medidas de austeridade e que é importante aplicar com rapidez o novo imposto sobre o imobiliário, anunciado no início do mês.

Grécia fez "bons progressos"

"Temos que complementar as medidas que não têm tido as receitas esperadas, para encaixar mais 54 mil milhões de euros. Se não aplicarmos este imposto sobre o imobiliário e não coletarmos a verba orçamentada, não vamos cumprir os objetivos do Orçamento de 2011 e não podemos fazer o projeto de Orçamento para 2012", disse ainda o ministro, no Parlamento.

A 'troika' considerou, no final das negociações, que Atenas fez "bons progressos", remetendo para os próximos dias novas decisões, depois de novas conversações técnicas.

Hoje, no parlamento, Venizelos elogiou o papel da 'troika', que a oposição grega, entre outras forças, considera responsável pela aplicação das fortes medidas de austeridade que, afirma, tem vindo a asfixiar o crescimento económico.

"Sem o controlo da ´troika', teríamos ido ao fundo, em termos fiscais", disse o ministro das Finanças.

"A zona euro sabe que o problema grego só se pode resolver dentro da zona euro", acrescentou.