Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Economia

Grécia ameaça sair da zona euro

  • 333

Petros Giannakouris/AP

Ministros das Finanças da zona euro reunem-se esta noite, secretamente, no Luxemburgo.

A Grécia admite retirar-se da zona euro, avançou a edição eletrónica do "Der Spiegel", que cita fontes do governo alemão e adianta que os ministros europeus das Finanças e representantes da Comissão Europeia se vão encontrar secretamente no Luxemburgo, esta noite.

Os porta-vozes dos governos alemão e grego e o porta-voz do presidente do eurogrupo já desmentiram a notícia.

O "Der Spiegel" sublinha que os protestos contra o governo grego devido aos problemas económicos são quase diários e que o primeiro-ministro George Papandreou, sente que não tem outra opção a não ser abandonar o euro e reintroduzir a moeda nacional.

Alarmada com a situação, a Comissão Europeia terá já convocado uma reunião de emergência para hoje, com a possível saída da Grécia e a restruturação da dívida daquele país na agenda, uma informação que é desmentida pelo porta-voz do Governo alemão.

Altamente confidencial

Face à delicadeza da situação, este encontro foi considerado altamente confidencial e contará apenas com as presenças dos ministros das finanças da zona euro e dos elementos mais experientes dos respetivos gabinetes.

O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, e Jörg Asmussen, um influente secretário de Estado vão representar a Alemanha.

Segundo as fontes do jornal alemão, Schäuble vai tentar evitar que a Grécia abandone o euro e leva um dossiê preparado pelos seus assessores avisando para as terríveis consequências destas decisão, entre as quais uma desvalorização da moeda doméstica de até 50% face ao euro que implicaria um drástico aumento da dívida grega.

O euro seguia hoje em queda face ao dólar, ao ceder 1,32% face à moeda norte-americana, num dia que a revista alemã "Der Spiegel" publicou que a Grécia pensa abandonar a moeda única.

Às 17h42 de Lisboa, o euro valia 1,4383 dólares, abaixo dos 1,4577 dólares a que negociava na quinta-feira e quase cinco cêntimos abaixo dos 1,4840 dólares a que estava cotado na terça-feira, quando bateu máximos de 16 meses contra a divisa norte-americana.

Antes de ter sido noticiado pelo Spiegel - que cita fontes alemãs - que a Grécia pretendia sair da zona euro, o euro valia perto de 1,45 dólares.

"É uma nova etapa, e estas informações são inquietantes. Não é surpreendente que o euro fique mais fraco", acrescentou.