Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Governador. "Não roubei nada a ninguém. O BdP acobardar-se teria custado muito ao país"

  • 333

FOTO Tiago Miranda

"Este fim de semana apelidaram-me de gatuno. Eu não roubei nada a ninguém, o Banco de Portugal não roubou nada a ninguém", diz Carlos Costa.

Anabela Campos e Isabel Vicente

Carlos Costa defendeu-se esta tarde na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BES/GES das acusações que foram feitas este fim de semana à porta de sua casa pelos chamados "lesados do BES". "Este fim de semana apelidaram-me de gatuno. Eu não roubei nada a ninguém, o Banco de Portugal não roubou nada a ninguém", disse o governador. "Chamar-me gatuno foi a maior ofensa que me fizeram na vida",, confessou.

"Se o BdP se tivesse acobardado isso teria custado muito ao país", frisou Carlos Costa.

Quando as pessoas investem em produtos de risco, têm de assumir que correm riscos, defendeu o governador perante os deputados. 

"Não podemos rebobinar a história, a história é o que é. No dia 14 de fevereiro de 2014 o Banco de Portugal proibiu a venda destes produtos, o que até é inovador", diz Carlos Costa. E esclarece que o produto tinha sido aprovado por uma autoridade, que não nomeia, mas estava a referir-se à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.