Siga-nos

Perfil

Economia

Comentário Diário

Os recuos e avanços das bolsas mundiais

Os índices mundiais encerraram a sessão de quinta-feira em alta, impulsionados sobretudo pelos dados macroeconómicos dos Estados Unidos e pela aprovação da expansão dos poderes do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) pelo parlamento alemão.

O índice nacional subiu 0,66%, o espanhol IBEX mais 1,32% e o alemão DAX subiu 1,10%. O setor financeiro europeu registou ganhos significativos. O Société Génerale valorizou 5,82%, o BNP Paribas mais 5,01% e o Deustche Bank subiu 3,86%.

Pela negativa estiveram as empresas dos artigos de luxo. Os títulos da Louis Vuitton caíram 5,15% e os da Burberry cederam 6,88%.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones Industrial subiu 1,30%, o S&P 500 ganhou 0,81% e o Nasdaq Composite perdeu 0,43%. O setor financeiro americano também se destacou pela positiva, com a Morgan Stanley e o Citigroup a valorizarem 6,57% e 3,78, respectivamente. Os títulos da Research In Motion deslizaram 3,37%, depois de a analista Collins Stewart ter afirmado que a empresa pode ter interrompido a produção de tablet PlayBook e de ter cancelado outros projectos.

A economia americana cresceu 1,3% (taxa anualizada) no segundo trimestre de 2011. Este crescimento foi ajudado sobretudo pelo aumento do consumo e das exportações. O valor ficou acima das estimativas apontadas pelos analistas (1,2%).

Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego recuaram para os 391 mil na semana passada. O valor saiu melhor do que o esperado pelos analistas (420 mil pedidos) e do mês anterior (423 mil pedidos).

A taxa de desemprego na Alemanha recuou para os 6,9% no mês de Setembro. O valor saiu ligeiramente melhor do que o esperado e o observado no mês anterior.

Hoje, os índices europeus abriram a última sessão da semana em baixa. A moeda única europeia segue a desvalorizar 0,5% para os 1,35 25 dólares (máximo do dia 1,3602 e mínimo do dia nos 1,3486 dólares). O destaque de hoje vai para a divulgação dos números do emprego e da inflação (estimativa rápida) da Zona Euro.









Teresa Pereira
Departamento de Consultoria e Research da Golden Broker