Siga-nos

Perfil

GIC - Global Investment Challenge

GIC 2015

Vencedores finais do GIC

  • 333

Francisco Pinto Balsemão (Impresa), com os vencedores finais Dário Florindo e André Gonçalves e Hiroki Miyazato e José Maria Ricciardi (ambos do Haitong Bank) e João Matoso Henriques (SDG)

Tiago Miranda

A organização do Global Investment Challenge (GIC) entregou no início deste mês os prémios aos vencedores da quinta edição.

A quinta edição do GIC começou a 3 de fevereiro e terminou no dia 12 de abril. No início deste mês a organização entregou os prémios aos vencedores finais e semanais, numa cerimónia que decorreu no Hotel Ritz, em Lisboa.

André Gonçalves foi o vencedor final da categoria geral, tendo obtido uma valorização do seu portefólio de 1.544.409,82 euros. Em segundo lugar nesta categoria ficou a concorrente Patrícia Gomes com ganhos de 445.702,72 seguida por Luís Ribeiro com 430.014,04 euros.

Na categoria de estudantes o vencedor final foi Dário Florindo que valorizou a sua carteira em 338.972,25 euros. Na segunda posição ficou o concorrente Ruben Reis com ganhos de 316.005,33 e em terceiro lugar Manuel Simas com 282.021,37 euros.

Os participantes que ficaram em primeiro lugar receberam um tablet e uma viagem a Paris com visita à bolsa desta cidade. Os segundos e terceiros classificados, tal como os vencedores semanais, receberam um tablet que lhes foi entregue na cerimónia de atribuição de prémios.

Esta edição do GIC contou com mais de dois mil participantes, distribuídos pelas duas categorias, geral e de estudantes. A participação feminina centrou-se nos 16% e os estudantes totalizaram 29% dos inscritos. No que respeita a idade a competição teve 80% de concorrentes com menos de 35 anos.

O Haitong Bank patrocinou pela primeira vez esta prova que foi também apoiada pela Euronext. Durante o jogo foi utilizada a plataforma de negociação online do Banco Best.

No total destas cinco edições já integraram esta iniciativa cerca de 25 mil pessoas. A organização está a ponderar a internacionalização, já para o final do ano, a começar pelos mercados de Hong Kong e Macau.