Siga-nos

Perfil

GIC - Global Investment Challenge

GIC 2015

Experiência formativa

  • 333

Dário Florindo conta como está a ser a sua primeira participação no Global Investment Challenge (GIC).

Com 21 anos Dário Florindo é licenciado em ciência política e relações internacionais. Explica que no GIC o seu objetivo é “construir uma carteira sólida de investimento, assente na ideia de rentabilidade a médio prazo”. Por isso tem procurado participações sobretudo em mercados internacionais como nos EUA que acredita possam ter uma rentabilidade interessante a médio prazo.

Já investiu capital na competição em contratos diferenciais (CFD) sobre índices e num leque variado de ações. “Tenho tido algumas surpresas agradáveis, sobretudo em ações que tiveram uma valorização muita rápida face ao que eu esperava”, conta este participante. Teve também alguns dissabores, nomeadamente nas primeiras semanas de jogo quando investiu em forex e teve perdas consideráveis em quase todos os investimentos.

Na sua opinião o GIC é a oportunidade perfeita para aprender um pouco mais sobre mercados financeiros e praticar num ambiente real com uma carteira simulada. “No meu caso penso que me tem ajudado imenso sobre como investir. Ganhei noção de despesas que não sabia que existiam, como por exemplo a taxa de câmbio e tenho aprendido como o mercado está volátil”, refere Dário Florindo.

Recém-licenciado, recomenda esta iniciativa a outros estudantes. “O GIC não é só uma competição, é essencialmente uma ferramenta de ensino. Recomendo a todos os estudantes de relações internacionais que utilizem estas plataformas de jogo porque o mundo não se joga só na política, mas cada vez mais nos mercados financeiros e aqui é uma excelente forma de perceber como o bater de asas de uma borboleta na China pode ter consequências gigantes do outro lado no mundo”, finaliza.