Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Fuga de depósitos leva Banco de Madrid a suspender operações

  • 333

Banco de Madrid suspende operações. Especializado na gestão de fundos, contava com 674 milhões de euros de depósitos.

Seis dias dias de ter rebentado o escândalo, o Banco de Madrid interrompeu esta segunda-feira as operações, depois de os administradores nomeados pelo Banco de Espanha terem pedido proteção contra credores fruto da fuga de depósitos e "forte deterioração" da situação financeira do banco.

A casa-mãe do do banco, a Banca Privada d'Andorra (BPA), fora acusada a semana passada de branqueamento de capitais pelo Departamento do Tesouro dos EUA, ao mesmo tempo que o presidente-executivo das duas instituições, Joan Pau Miquel Prats,  era detido em Andorra. Segundo as autoridades americanas, o BPA processou centenas de milhões de dólares em transações provavelmente ligadas a grupos russos, chineses e venezuelanos.

Depósitos em fuga

Desde a detenção do presidente e da acusação de lavagem de dinheiro, os clientes do Banco de Madrid intensificaram a retirada de fundos e depósitos do banco.

Os avultados levantamentos de clientes "que se verificaram nos últimos dias afetaram a capacidade para fazer face ao cumprimento pontual das obrigações", explica o banco em comunicado.

Esta realidade levou os novos administradores a supender as operações "como única forma de assegurar um tratamento igual a todos os depositantes e demais credores do banco".

O Banco de Espanha recordou em comunicado que os depósitos dos clientes do Banco de Madrid estão garantidos pelo Fundo de Garantia até 100 mil euros, por cliente e por conta. Esta garantia "será efetiva logo que se cumpra a tramitação adequada", explica o Banco de Espanha.

Gestor de fundos

A atividade do Banco de Madrid não estava focada na banca de retalho mas sim na gestão de fundos de investimento, contando com ativos superior a 5 mil milhões de euros. No fim de setembro de 2014, a instituição tinha depósitos no valor de 674 milhões de euros.

Na gestão de fundos, o banco é um dos grandes operadores de Espanha, contando com 78 mil clientes. O dinheiro aplicado nos fundos de investimento não está coberto pelo Fundo de Garantia, mas os fundos constituem ativos independentes do banco e respondem pelo seu desempenho.

O BPA comprara o Banco de Madrid em 2011 à KutxaBank por 100 milhões de euros, incluindo a compra dos edifícios ocupados pela instituição.