Siga-nos

Perfil

Exame

Exame

Conheça as 500 Maiores & Melhores Empresas

A 27ª edição das 500 Maiores & Melhores Empresas (500M&M) revela-lhe quem são as companhias que se destacam na economia portuguesa. O código que consta na revista dá-lhe acesso ao ranking geral e às análises por sectores e por regiões, bem como conhecer a metodologia do estudo feito pela Informa D&B e pela Deloitte

O número que salta à vista na mais recente edição das 500 Maiores e Melhores Empresas em Portugal (500 M&M) é o aumento dos resultados líquidos, que sobem 217,6%. Uma diferença positiva altamente impactada pelo desempenho de duas empresas. Por um lado, a MEO, que em 2014 apresentou prejuízos de 2,27 mil milhões de euros (uma performance anómala e que não decorreu de qualquer oscilação significativa do negócio da operadora, mas sim das operações contabilísticas decorrentes das combinações de negócio da brasileira Oi com a PT Portugal, dona da MEO, e a sua posterior alienação à Altice), registou em 2015 perdas de “apenas” 213 milhões. Por outro lado, a evolução dos resultados da Petrogal foi extremamente positiva, passando de prejuízos de 415 milhões de euros para lucros de 733 milhões.

Por outro lado, os dados de 2015 revelam uma contração de 0,7% no volume de negócios global, que caiu para 127,62 mil milhões de euros. As companhias que integraram este ranking na edição anterior tinham registado, em 2014, uma faturação total de 128,48 mil milhões de euros.

Na análise por sectores, o destaque vai para o sector das Atividades Auxiliares aos Transportes, que integra sete empresas neste ranking (incluindo a Infraestruturas de Portugal, a ANA – Aeroportos de Portugal ou a Portway). Foi aquele que registou a maior subida das vendas (74,1%), assim como um dos maiores crescimentos dos lucros (384,1%). Por sua vez, os sectores da Madeira, Cortiça e Móveis (24,1%) e do Equipamento de Transporte (20,2%) compõem o pódio das subidas do volume de negócios — áreas onde o crescimento dos lucros também foi notório.

No que se refere à análise das 500M&M por regiões, o Norte continua a reforçar a liderança, crescendo consecutivamente em número de empresas: são 133 nesta edição do ranking, eram 127 há um ano, 118 no ano anterior. Pelo contrário, o número de companhias na Área Metropolitana de Lisboa e no Centro estagnou de 2014 para 2015: 252 e 73, respetivamente. Contudo, continua a ser a capital portuguesa a principal responsável pelo volume de negócios arrecadado pelas 500 M&M, praticamente dois terços do total (64%), 81,9 mil milhões de euros — ainda que as vendas tenham estagnado em 2015 (0,5%). Mas Lisboa destacou-se sobretudo pelos lucros, que multiplicaram por 20, chegando a 3,46 mil milhões de euros.