Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ex-SCUT rendem mais do dobro das restantes portagens da Estradas de Portugal

  • 333

FOTO RUI DUARTE SILVA

Receita total de portagens da empresa no primeiro trimestre do ano atingiu os 76,3 milhões de euros.

J. F. Palma-Ferreira

A maior receita de portagens da Estradas de Portugal (EP) foi obtida pelo sistema de cobrança eletrónica das autoestradas ex-SCUT, que renderam 53,9 milhões de euros nos primeiros três meses de 2015, mais 13,5% que em igual período do ano passado. Todas as restantes receitas de portagens da EP totalizaram 22,4 milhões de euros no primeiro trimestre de 2015, com destaque para as concessões do Estado com portagem real, que cobraram 16,3 milhões de euros no mesmo período, o que corresponde a uma variação homóloga de 7,9%.

A receita total de portagens da EP no primeiro trimestre do ano atingiu os 76,3 milhões de euros, mais 13,2% que a cobrança obtida no período homólogo de 2014, em que se tinha ficado pelos 67,4 milhões de euros.

A receita das subconcessões da EP aumentou 33% nos primeiros três meses do ano, embora o valor desta cobrança seja de apenas 4,4 milhões de euros - o que compara com 3,3 milhões de euros cobrados no primeiro trimestre de 2014.

Finalmente, as portagens de vias não concessionadas representam a fatia mais pequena das receitas de portagens da EP, com 1,7 milhões de euros cobrados no primeiro trimestre de 2015, mais 13,3% que o valor cobrado no período homólogo de 2014.

A EP explica que os valores de portagens do primeiro trimestre de 2015 "não incluem o período da Páscoa, no qual se verificou um crescimento de 19,3% do número de turistas a aderir ao sistema de pagamento de portagem EasyToll", que facilita as cobranças a estrangeiros.