Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Estado poupou €131 milhões em tecnologia em 2014

  • 333

Governo lançou portal para mostrar evolução dos gastos e poupanças dos diferentes  ministérios em tecnologias de informação e comunicações 

João Ramos

João Ramos

Jornalista

Os esforços de racionalização da utilização de tecnologias de informação e comunicações (TIC) na Administração Pública começam a dar os primeiros resultados. O Estado conseguiu alcançar poupanças de 131 milhões de euros, revelou o Governo a propósito do lançamento do novo portal www.tic.gov.pt.



Neste valor estão incluídas poupanças diretas de 53,9 milhões de euros em aquisições de tecnologia e 77,3 milhões de euros de poupanças indiretas (que resultaram da utilização de tecnologia).  Estas poupanças têm como referência 2011, ano em que o Estado terá gasto €350 milhões de euros em TIC.

As poupanças indiretas não TIC dizem respeito quando, por exemplo, na área da saúde permitem otimizar o transporte de doentes pelas ambulâncias e reduzir os níveis de fraude, ou ainda quando os organismos do Estado usam sistemas de videoconferência e reduzem o número de deslocações de funcionários públicos.



Peça fundamental do Plano Global Estratégico de Racionalização e Redução de Custos com as TIC (PGETIC), o novo espaço na Internet passa a ter disponível ao público os números detalhados e os principais indicadores de aquisições e poupanças na área das TIC dos diferentes ministérios.   



O PGETIC foi anunciado em 2012 e vai ser implementado até 2016.  Já avaliou até agora 3.800 projetos e deu luz verde a aquisições que ascendem a 620 milhões de euros. Mas também chumbou um número indeterminado de aquisições que não estavam alinhados com os objetivos estratégicos. O PGETIC foi revisto em 2014 e passou a incidir sobretudo em quatro áreas: centros de dados, a nuvem, o software e software livre.  



As poupanças também resultam da fusão de departamentos de TI em cada ministério, consolidação de centros de dados, revisão de contratos de comunicações ou da renegociação de contratos de software.  



Nesta última área, a ação do diferentes ministérios tem passado pela renegociação de contratos com os principais fornecedores da administração pública (Microsoft, Oracle e SAP), cujas despesas de licenciamento nos  três últimos anos atingem valores entre os 17 milhões e os 45 milhões de euros. Segundo fonte do Governo, só foi possível renegociar contratos com a Microsoft, mas as poupanças alcançadas  já atingem os 9 milhões de euros.



Na área das comunicações, passou a ser obrigatório os novos contratos com os operadores passarem a incluir a tecnologia VOIP (voz sobre IP) para que todas as chamadas  entre telefones fixos dentro dos organismos do  Estado passem a ser feitas através da Internet, não tendo assim qualquer custo. Com esta mudança tecnológica, o Estado já conseguiu poupar 30 milhões de euros em comunicações.