Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Espírito Santo Enterprise está a ser investigada pelo Ministério Público

  • 333

FOTO Luis Barra

Ricardo Salgado nega que a Espírito Santo Enterprise funcione como um "saco azul" e diz que a empresa está a ser investigada pelo Ministério Público no âmbito do caso Monte Branco.

O ex-presidento do BES reafirma que a Espírito Santo Enterprise é uma empresa de serviços partilhados que funcionava a nível internacional, e nega que fosse uma espécie de "saco azul", como tem sido noticiado. Salgado reconheceu que a ES Enterprise era uma offshore, e tinha como administradores Francisco Machado da Cruz, o contabilista da Espírito Santo International, e José Castela, o controler financeiro.

A ES Enterprise, diz que Salgado, servia para pagar serviços partilhados do grupo, e foi nesse âmbito que foram pagos 7 milhões de euros a Hélder Bataglia, acionista da Escom, aparentemente por um serviço desenvolvido no Congo Brazzaville, segundo Salgado

O que é que Hélder Bataglia fez para receber um prémio de 7 milhões de euros, pergunta Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda. "Julgo que foi pelo desenvolvimento de actividades" e "terá sido uma compensação", afirma o antigo banqueiro. Depois Salgado disse que não podia falar mais alegando segredo de justiça.