Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Efacec quer facturar 80% no estrangeiro

Empresa tem nos EUA um dos mercados onde quer replicar todos os seus negócios.

Margarida Cardoso (www.expresso.pt)

Com raízes no mercado nacional desde 1905, a Efacec tem fábricas nos Estados Unidos, Brasil, Argentina, Angola, Moçambique, Índia, Malásia e China. Emprega 4.500 pessoas de 15 nacionalidades e soma encomendas e vendas anuais na ordem dos mil milhões de euros.

Dentro de três anos, a empresa prevê ter 80% da sua actividade no estrangeiro de acordo com um plano estratégico focado na multiplicação dos seus negócios em sete mercados-alvo: EUA, América Latina (Brasil, Argentina e Chile), Pensínsula Ibérica, Magrebe (Argélia, Tunísia e Marrocos), África Austral (Angola, Moçambique e África do Sul) Europa Central e Índia.

Relativamente aos Estados Unidos, onde a nova fábrica da Efacec tem já encomendas de algumas companhias eléctricas norte-americanas em carteira, a empresa prevê acelerar o crescimento nos próximos anos, fornecendo directamente clientes nos EUA e noutros países da América Central e do Sul.

Renováveis na agenda

Os projectos da Efacec para o país passam, ainda, pela expansão da sua presença a outros segmentos de negócio, como os transportes e as energias renováveis. Já em 2007, ainda antes de concretizar este projecto, a empresa comprou a ACS - Advanced Control System, uma empresa de engenharia de Atlanta especializada na área da automação que já lhe permitiu entrar no mercado jordano.

Em 2007, no lançamento da primeira pedra da nova fábrica americana, Luís Filipe Pereira admitiu que a empresa poderia facturar 300 milhões de euros nos EUA em 2015.

Para este ano, a empresa prevê encomendas de 100 milhões nos EUA, o equivalente a 9% das encomendas do grupo, e vendas de 51 milhões (5% do total do grupo).