Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Preço da gasolina atinge máximo histórico

Os preços dos combustíveis voltaram a subir esta semana em várias gasolineiras, com a gasolina a avançar para o valor mais elevado de sempre, acima do máximo histórico de julho de 2008. (Veja vídeo SIC no final do texto)

A Galp atualizou os preços na noite de domingo para segunda feira, aumentando a gasolina em 2 cêntimos e o gasóleo em três cêntimos. Nos postos da Galp, um litro de gasolina custa agora €1,533, enquanto o gasóleo vale €1,348 o litro.

De acordo com fonte da gasolineira, na base quer desta, quer das últimas atualizações de preços feitos pela empresa estão "alterações nas cotações do gasóleo e da gasolina no norte da Europa, que têm estado a disparar desde há várias semanas".

Adicionalmente, disse a mesma fonte, "o dólar [ao qual está indexado o preço do barril de petróleo] também se tem valorizado muito em relação ao euro, por causa das questões da dívida soberana" de vários países europeus.

Cepsa igual à Galp 

Nos postos da Cepsa, desde as 00:00 de hoje que a gasolina 95 sem chumbo ficou mais cara 1 cêntimo, para €1,533 o litro, e o gasóleo custa mais 0,9 cêntimos, fixando-se nos €1,348 o litro.

A Lusa contactou a BP para obter informação sobre aumentos nos postos de abastecimento, mas até ao momento não foi possível obter resposta. Com esta nova subida, o preço da gasolina bateu o valor médio mais alto de sempre: €1,523 euros, atingidos na semana de 18 de julho de 2008, numa altura em que o preço do petróleo atingiu máximos históricos, acima dos 147 dólares por barril.

Temos o 3º gasóleo mais caro da Europa 

Os dados mais recentes da Comissão Europeia apontam Portugal como tendo o gasóleo mais caro da Europa, a seguir à Grécia e à Finlândia, enquanto o mais barato é da Irlanda, Áustria e Reino Unido.

Depois de impostos o cenário muda: o gasóleo português quando chega ao público é o 8.º mais caro da UE-27. Com impostos o gasóleo mais caro é do Reino Unido, seguido da Suécia e, depois, da Grécia.

Uma análise feita pela Lusa concluiu que preços da gasolina sem chumbo 95 subiram em média todas as semanas desde setembro à exceção de quatro vezes, apesar de se terem registado sete quedas de preço deste produto refinado nos mercados internacionais.

As petrolíferas referem que estes preços na bomba acompanham a média semanal de preços dos produtos refinados nos mercados internacionais.