Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Fatura de gás natural vai baixar mais de 7%

  • 333

FOTO GETTY

Boas notícias para os consumidores portugueses: as tarifas de gás natural vão cair 3,9% já em maio e deverão recuar mais 3,5% em julho, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) propõe novos preços para os consumidores de gás natural, que irão baixar a fatura do gás em mais de 7% nos próximos três meses, segundo um comunicado do regulador.

A ERSE aprovou uma primeira redução de 3,9% nas tarifas transitórias aplicáveis aos clientes domésticos de gás natural, que entra em vigor já a 1 de maio. E para o período tarifário anual que tem início a 1 de julho a ERSE está a prever uma nova descida de 3,5%, sendo que este recuo terá ainda de ser submetido a discussão do conselho tarifário do regulador, para, a 15 de junho, ser publicada a decisão final da entidade.

A primeira descida de 3,9%, que os consumidores sentirão nas suas faturas já daqui a duas semanas, é justificada pela ERSE com a descida do custo dos combustíveis no mercado internacional. Esta baixa nas tarifas irá permitir aos consumidores "acomodar de imediato a diminuição do preço do petróleo registada no último trimestre de 2014 e que se reflete nos custos de aprovisionamento do gás natural com um diferimento temporal de alguns meses", diz a ERSE.

O regulador nota que a diminuição do custo de aprovisionamento de gás natural não é diretamente proporcional à queda do preço do petróleo, já que não só se verificou uma desvalorização do euro face ao dólar como também há componentes fixas na formação do preço do gás que não dependem unicamente da cotação do petróleo.

Já no que respeita à descida de 3,5% a aplicar nas tarifas a partir de 1 de julho, a ERSE avança com outros fatores, como a diminuição dos custos de acesso às infraestruturas reguladas e ainda a obtenção de um impacto positivo de 50 milhões de euros anuais devido ao alargamento da contribuição extraordinária sobre o sector energético (CESE) aos contratos de aprovisionamento de longo prazo da Galp.

A ERSE estima que as variações tarifárias agora anunciadas irão permitir às famílias portuguesas reduções médias nas suas faturas entre um e dois euros por mês (consoante tenham consumos de 150 ou de 320 metros cúbicos por ano, que correspondem aos níveis médios de consumo de casais sem filhos ou agregados familiares de maior dimensão, respetivamente).