Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

EDP Renováveis vende 49% da sua primeira central solar nos EUA

  • 333

Depois da eólica, EDP Renováveis apostou na energia solar.

Alberto Frias

A empresa liderada por João Manso Neto vendeu a um fundo quase metade do seu primeiro parque fotovoltaico norte-americano, que começou a operar no final do ano passado.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP Renováveis firmou um acordo para a venda ao fundo DIF Infrastructure III de 49% do parque fotovoltaico Lone Valley, na Califórnia, que entrou em operação no final do ano passado e é a primeira central de energia solar da empresa nos Estados Unidos da América (EUA).

O parque Lone Valley tem uma capacidade instalada de 30 megawatts (MW), sendo o primeiro ativo solar da EDP Renováveis nos EUA e um dos primeiros do grupo, que decidiu recentemente apostar em empreendimentos de energia solar para diversificar o seu negócio, há vários anos concentrado nas eólicas.

O empreendimento nos EUA tem um contrato de venda da sua energia válido por 20 anos. A EDP Renováveis não revelou o encaixe que fará com a venda, mas indicou que o valor implícito da totalidade daquela central solar é de 3,1 milhões de dólares (€2,9 milhões) por MW, o que avalia os 49% agora alienados em € 42,6 milhões.

Com esta transação a EDP Renováveis "estende a sua estratégia de rotação de ativos para o negócio de energia solar e estabelece a sua quarta operação de rotação de ativos desde maio de 2014", nota a empresa em comunicado ao mercado.

A companhia liderada por João Manso Neto recorda que para alcançar os seus objetivos de crescimento para 2017, está a executar uma estratégia de alienação de ativos num montante global de €700 milhões, que diz a EDP Renováveis, lhe permitirá "incrementar a criação de valor", já que captará desde já o valor associado às receitas futuras dos ativos, reinvestindo os montantes recebidos no desenvolvimento de novos projetos.

Atualmente a EDP Renováveis tem 9.036 MW de capacidade instalada em vários países, sendo 82 MW relativos a energia solar (nos EUA, na Roménia e em Portugal) e o restante concentrado em parques eólicos. EUA e Espanha são os maiores mercados da empresa, seguidos de Portugal, Roménia, Polónia e França.