Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

EDP reforça posição na venda de gás natural no mercado livre

  • 333

O grupo presidido por António Mexia lidera o abastecimento de gás no segmento doméstico do mercado liberalizado, tendo fechado 2014 com uma quota de quase 49%.

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A EDP consolidou no último trimestre de 2014 a sua posição de maior fornecedor de gás natural a clientes domésticos no mercado liberalizado, alcançando em dezembro uma quota de 48,8%, acima dos 45,3% que tinha em setembro, segundo o mais recente relatório da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

A quota que a EDP obteve em dezembro no fornecimento de gás natural no mercado residencial é a mais elevada desde março de 2014, quando o grupo chegou a ter um peso de 49,1% no abastecimento doméstico de gás em Portugal.

Há já vários trimestres que a EDP lidera o segmento doméstico no mercado liberalizado de gás natural, tendo como principais concorrentes a Galp e a Goldenergy, que vêm alternando entre si no segundo lugar. Em dezembro último, a Galp tinha uma quota de mercado de 26,4% (em linha com o resultado obtido em setembro), enquanto a Goldenergy viu a sua quota recuar de 28% em setembro para 24,7% em dezembro.

Segundo a ERSE, o mercado liberalizado de gás natural tinha no final do ano passado 824 mil clientes, dos quais 821 mil domésticos. Ao longo de 2014 o segmento residencial conquistou quase 295 mil clientes que em 2013 ainda estavam a ser fornecidos no mercado regulado. Mesmo assim, de acordo com o regulador da energia, cerca de 40% das famílias portuguesas ainda estão a ser abastecidas de gás natural no mercado regulado.

Considerando todo o mercado liberalizado de gás natural, o que inclui, além das famílias, o abastecimento a indústrias e outros clientes empresariais, a Galp permanece líder, mas viu a sua quota recuar de 68,5% em setembro para 57,6% em dezembro. A perda da petrolífera foi capitalizada pela EDP, que subiu de 7,6% para 10%, e outros operadores do mercado livre.

Ao nível dos clientes industriais, por exemplo, a posição da Galp no último trimestre de 2014 recuou sete pontos percentuais, para 62,6%, em benefício de fornecedores como a EDP, Goldenergy, Endesa e Gas Natural Fenosa, que viram as suas quotas de mercado crescer neste segmento de consumo.