Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Custos de transporte e distribuição de energia caem 10% em 2015

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) garante que sem esses cortes o aumento das tarifas elétricas para 2015 seria de 5,3% e não 3,3% conforme propõe. O aumento definitivo será conhecido hoje ao final da tarde.

Os custos de transporte e distribuição de energia deverão cair 10% em 2015, segundo estimativas da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Se estes custos não caíssem o aumento da eletricidade para o próximo ano seria de 5,3 em vez dos 3,3% que a ERSE propõe.

Aliás, hoje mesmo, ao final da tarde, será conhecido em definitivo o aumento da eletricidade mas, segundo o Expresso apurou junto de fontes ligadas ao processo, "não andará longe da proposta da ERSE, que ronda os 3,3%".

A entidade que regula o sector energético recorda que, no âmbito das suas competências, tem-se batido pelo abrandamento dos investimentos nas redes de energia, pois entende que Portugal já dispõe de níveis de qualidade muito acima da média europeia. E, por outro lado, recorda que, no fim da linha, é sempre sobre os consumidores que recaem os custos desses investimentos.

Em comunicado agora divulgado, a ERSE nota que o sobreinvestimento nas redes tem sido uma das suas preocupação centrais ao longo dos últimos anos. E recorda que a sua atuação integrada, "através da diminuição das taxas de remuneração em cerca de 30% e de vários pareceres negativos aos planos de investimento propostos, se tem traduzido numa quebra significativa, nalguns casos de quase 50%, dos investimentos em redes, sem prejuízo do nível de qualidade de serviço".

A ERSE sublinha ainda que "em resultado desta atuação, os custos das redes a pagar pelos consumidores nas tarifas de 2015 vão diminuir cerca de 10% face a 2014 e o peso dos custos das redes nos custos totais a recuperar mas tarifas passou de quase 30% do total dos custos em 2010 para cerca de 21% previstos para 2015".