Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Energia

Barragem de Foz Tua vai avançar

  • 333

Um investimento de €300 milhões, para uma obra que vai dar emprego directo a 1000 pessoas.

Vítor Andrade (www.expresso.pt)

A EDP anunciou esta semana que vai lançar o concurso para a empreitada de construção civil da barragem de Foz Tua, um dos mais polémicos dos 11 projetos do plano de expansão de capacidade de produção hidroelétrica.

As propostas, segundo a EDP, serão entregues em outubro. De acordo com o planeamento estabelecido, a adjudicação deste contrato e o arranque das obras deverão ocorrer no final do ano. A conclusão da empreitada está prevista para o início de 2015.

Fontes da elétrica presidida por António Mexia garantem que o Relatório de Conformidade Ambiental do Projeto de Execução (RECAPE) foi entregue às autoridades competentes em junho, estando atualmente em análise.

Este documento estabelece a forma como a EDP se propõe executar as medidas de minimização e compensação exigidas pela Declaração de Impacte Ambiental (DIA) emitida em maio.

Uma das últimas propostas da EDP em matéria ambiental visava a criação de um parque natural em torno das barragens do Sabor e do Tua, no Nordeste transmontano. O partido ecologista Os Verdes reagiu de forma violenta contra essa sugestão classificando-a como uma "hipocrisia gigantesca". Disse ainda que se trata de uma tentativa de a EDP "lavar a cara" perante as acusações de crime ambiental que várias entidades, nomeadamente as associações ambientalistas, têm vindo a fazer sobre a barragem do Tua.



Trabalho para 4000

Quanto ao projeto, será constituído por uma barragem em betão, do tipo abóbada, e por uma central subterrânea em poço equipada com dois grupos reversíveis (que podem fazer bombagem, ou, por outras palavras, repor a água na albufeira).

A potência total a instalar será de 263 megawatts. A obra terá ainda um circuito hidráulico subterrâneo e uma subestação compacta para ligação à rede, prevendo-se uma produção anual de 619 gigawatts.

O investimento total ronda os ¤300 milhões, a preços de 2010 e, segundo estimativas da EDP, criará 4 mil empregos, dos quais mil de forma direta.

Segundo a EDP, a barragem do Tua, situada no troço inferior do rio com o mesmo nome, perto da sua confluência com o rio Douro, foi objeto do primeiro concurso público lançado pelo Instituto da Água (INAG), no âmbito do Plano Nacional de Barragens.

Entretanto a eléctrica presidida por António Mexia fez saber que tem tem abertas as candidaturas ao programa "EDP Solidária Barragens" com €150 mil disponíveis para apoiar projetos sociais nas zonas abrangidas pelo novos empreendimentos hidroelétricos.

Esta é já a segunda edição do programa criado em 2009 com o propósito de apoiar os concelhos transmontanos onde a EDP está a construir a barragem do Sabor, onde acaba de anunciar o arranque das obras da barragem de Foz Tua e onde procede ao reforço de potência da barragem de Picote, no Douro.