Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Administração da REN reuniu-se com o Presidente da República

  • 333

Cavaco recebeu gestores da REN.

Luís Filipe Catarino / Presidência

O presidente cessante da REN, Rui Vilar, e o novo líder da empresa, Rodrigo Costa, foram recebidos esta quarta-feira no Palácio de Belém. Mera visita de cortesia?

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O Presidente da República recebeu em audiência esta quarta-feira no Palácio de Belém o "Estado Maior" da REN - Redes Energéticas Nacionais: o ainda presidente da REN, Rui Vilar, e o seu sucessor, Rodrigo Costa, foram recebidos por Cavaco Silva, num encontro cuja agenda não foi revelada.

A REN não avançou quaisquer pormenores sobre o motivo do encontro. As boas relações de Rui Vilar com Cavaco Silva e o facto de o primeiro estar de saída da REN poderão justificar a oportunidade do encontro, de forma a apresentar aquele que será, nos próximos três anos, o presidente da empresa de infraestruturas energéticas.

Mas terá o encontro sido realizado por mera cortesia? A REN não esclarece se o tema da contribuição extraordinária do setor energético (CESE) esteve em cima da mesa. A verdade é que a CESE tem sido amplamente criticada pela REN. Em fevereiro a empresa anunciou ter pago os cerca de 25 milhões de euros relativos a 2014, mas garantiu que de seguida irá contestá-la em tribunal.

Há menos de um ano Cavaco Silva já se havia encontrado na China com o presidente da State Grid, que é, com uma participação de 25%, o maior acionista da REN. O encontro ocorreu durante a visita que Cavaco fez a Pequim em maio de 2014.

Já antes desse contacto altos responsáveis da State Grid tinham manifestado ao Governo português o seu desagrado com o anúncio da CESE, através de vários encontros que decorreram no final de 2013 em Lisboa.

A contribuição extraordinária, cuja vigência foi prolongada para 2015, foi criada pelo atual Governo em outubro de 2013, como solução para cobrar às empresas de energia um contributo de 150 milhões de euros, destinados a financiar várias medidas do Orçamento do Estado, bem como a redução da dívida tarifária do setor elétrico.

A CESE é um dos principais desafios do novo presidente executivo da REN, Rodrigo Costa, pois o seu pagamento já fez os lucros da empresa cair 7% no ano passado.

Mas se durante os últimos meses Rodrigo Costa tem sido coadjuvado por Rui Vilar, como presidente não executivo, o mesmo não se verificará a partir de 17 de abril A assembleia geral de acionistas da REN deverá aprovar a lista de administradores proposta pela State Grid e três outros acionistas de referência, da qual não consta o nome de Rui Vilar.