Siga-nos

Perfil

Economia

Energia

Rede para carros elétricos será modernizada à boleia dos fundos europeus

  • 333

Até hoje, os possuidores de carros elétricos estavam limitados a carregar as baterias nos postos da rede Mobi.e na via pública colocados em 20 concelhos do país

Tiago Miranda

A entidade gestora da mobilidade elétrica em Portugal vai beneficiar de 4,2 milhões de euros para atualizar a tecnologia dos postos de carregamento atualmente existentes e instalar novos equipamentos

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Mobi.E, sociedade que gere a rede pública de carregamento de veículos elétricos em Portugal, vai beneficiar de um envelope financeiro de 4,2 milhões de euros de fundos comunitários para atualizar a tecnologia dos pontos de carregamento hoje existentes.

De acordo com um aviso do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), a Mobi.E terá à sua disposição aquela verba, a fundo perdido, à qual terá de somar outros 740 mil euros de outras fontes de financiamento. O financiamento comunitário apoiará 85% do projeto de atualização da rede para carros elétricos.

O subsídio agora avançado à Mobi.E tem dois objetivos principais: a atualização tecnológica dos postos existentes na rede pública e o alargamento da rede atual. A empresa que gere a rede da mobilidade elétrica terá dois anos para executar os investimentos.

A rede de postos de carregamento em espaços públicos nasceu a partir do programa de mobilidade elétrica criado em 2009 pelo Governo de José Sócrates. Um programa que foi complementado com um plano de subsidiação da compra de veículos elétricos, mas que resultou numa rede de postos subaproveitados, devido à fraca adesão dos portugueses a esse tipo de automóveis. Algo que está a mudar, com um aumento do interesse pela mobilidade elétrica.

A rede foi projetada para ter 1300 pontos de carregamento na via pública, dos quais 50 de abastecimento rápido.

No Orçamento do Estado para este ano o atual Governo decidiu baixar o subsídio para a compra de veículos elétricos de 4.500 para 2.250 euros (apoio que é válido apenas mediante a entrega para abate de um veículo em fim de vida).

Apesar desta redução do incentivo, as vendas de carros elétricos em Portugal estão a crescer. De janeiro a abril foram comercializados no país 572 veículos deste género, num aumento de 136% face ao mesmo período do ano passado. Ainda assim, os elétricos representam menos de 1% das vendas de automóveis em Portugal.